Jéssica  16.05.18 20h52
Professor, que tal cuidar do prédio do Instituto de Linguagens, do qual o senhor é diretor? O prédio está um caos, com várias carteiras jogadas nos corredores, o mato crescendo nos arredores, várias salas sem equipamentos, banheiros com vasos estragados, corredores sem lâmpadas, elevador sem funcionar. Dirigir um instituto é difícil, sabemos. Imagina dirigir um país. Portanto, livre-se do significante Lula e cuide do seu IL.
4
4
Campos  16.05.18 15h58
Sr Zenildo, se a universidade está falida, foi o governo petista quem faliu, durante os treze anos de governo, se sopraram "bons ventos" no governo Lula, foram frutos do governo FHC, quando Lula passou o governo para Dilma, ela recebeu uma "herança maldita" da qual nunca conseguiu sanar, se o senhor tem boa memória, vai lembrar que uma das primeiras medidas da presidenta Dilma, foi cortar "cinquenta bilhões" do orçamento, e ao longo do mandato, foi mergulhando o país na crise que até hoje não conseguimos livrar-se dela, agora vem dizer que quem arruinou o Brasil foi quem tem menos de dois anos de mandato? Por gentileza sr Zenildo, o povo já não está com a memória tão curta! Entretanto, "A política é a arte da enganação", ganha quem for melhor nessa arte.
23
15
Antonio Benedito de Assunção  16.05.18 14h58
Cuiabania: Desta vez o professor Boaventura pisou na bola. Seu texto esta fora de contexto professor. Ao senhor, não cabe o papel de analista ou crítico de samba, nem tampouco opinar se o samba é sambinha ou não. O que importa nessa mensagem é, sem dúvida lembrar que o Lula foi condenado sem provas cabal. E, só para lembrá-lo, Lula fez muito pelas Universidades Federais, aliás, lugar onde o senhor vende a sua mão-de-obra (a famosa mais-valia). Qualquer dia desses, quem sabe, ainda vou dizer em pobres versos, sem rimas e metáforas que precisamos ficar livres de algumas línguas ferinas, que não tem nada a ver com Gregório de Matos. alcunhado no período colonia de "Boca do inferno"
24
20
Renato de P. Pereira Filho  16.05.18 14h31
Parabens pelo artigo. Independente da ideologia que se tenha, nao se pode achar que o sr. Lula é inocente; foi julgado e condenado em duas instancias e teve seus inumeros recursos negados pela Suprema Corte. Nao consigo entender como algumas pessoas, em nome de suas ideologias, defendem bandidos. Ser de esquerda ou de direita é uma das vantagens da democracia, e esta diversidade ideológica que leva ao avanço da sociedade.
25
16
Zenildo de Campos Bruno  16.05.18 13h40
Pra dizer um público que tem orgulho de ter sido aluno ou aluna desse “professor” tem que ser do grupo do Bostonáro ou coisa parecida. Deve sofrer de amnésia crônica ou não sabe o que são políticas públicas esse prof. Os Presidentes Lula e a Dilma foram os que mais investiram em Educação pública principalmente para o ensino superior na história do Brasil. Não bastasse isso, veja só a que ponto nossa Universidade hoje sobre o comando federal da direita fascista e golpista se encontra com seu orçamento totalmente falido e praticando um aumento em 500% na refeição em uma única vez do RU. Provavelmente esse professor veio de uma família abastarda provida de recursos fartos que nem precisava de estudar em escolas públicas se é que estudou. A professora Mirian Serra, nossa Reitora tem feito verdadeiro milagre com os poucos recursos para investimento e custeio recebidos do MEC. Porém, muito bem provável ele deve ter feito seu doutorado em universidades públicas usufruindo do erário que o bancou e agora cospe no prato que o alimentou. Temos orgulho da nossa UFMT que acolhe seu público superando as diferenças os preconceitos e principalmente o ódio impregnado pela cultura do regime militar de 23 anos. Ele deve ter saudade desse período de chumbo que provavelmente só descansava em berço de ouro. É lamentável que temos professores desse lado ideológico provavelmente poucos. Porém, orgulho me de muitos deles que ensinaram coisas bem diferente desse pensamento bestial. Professor se fosse seu aluno não teria orgulho pelo contrário teria muita vergonha de ser educado por um homem dessa visão infantil e de baixo conhecimento.
21
36
+Marcelo F  16.05.18 13h26
+Marcelo F, seu comentário foi vetado por conter expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas
Edmar Roberto Prandini  16.05.18 13h22
Se a literatura da UFMT tem um professor que desconhece os vocábulos da língua portuguesa a ponto de escrever o verbo "obcecar" com a letra "s" no lugar do "c", (redação do autor: "...em prol de uma “Ideia” perversa e obsecada por corrupção. Pois bem.) É um erro que não pode ser causado por falha de digitação, mas tem origem em confusão conceitual e de desconhecimento do idioma, o que não seria aceitável em um professor de literatura, como ele se apresenta; então, explica-se, pela limitação da sua capacidade intelectiva, porque não compreenda que haja um processo de matriz política e não jurídica a determinar a condenação de Lula nesse episódio do apartamento triplex. As consequências políticas futuras dessa torcida por extirpar a principal liderança política do país dos últimos quarenta anos de nossa história da definição de rumos do país serão desastrosas. A responsabilidade pelas consequências funestas terão como responsáveis diretos aos autores dos impropérios dessa condenação, mas toda a torcida anti-Lula também terá culpa, de qual não se livrará pelo fato de tentar fugir. PS: Não sou "lulista" e defendi sempre que Lula não deveria candidatar-se novamente a Presidente, até que o movimento Anti-Lula perdeu as rédeas do equilíbrio e ingressou no percurso da barbárie.
14
15
henrique do carmo barros  16.05.18 13h19
Comungo com muita coisa do seu texto Professor Roberto Boaventura, porém, salvo melhor juízo há um equivoco na citação da música da dupla Dom e Ravel à qual atribui a composição do hino da seleção na copa de 70. Na realidade a dupla surfou no sucesso, financiado pelos governos militares, "eu te amo meu Brasil eu te amo/ meu coração é verde amarelo e branco azul anil..." Porém não prejudica a associação que fez e retrata bem a pobreza da música panfletária cantada pela Beth Carvalho.
8
3
ROBSON JOSÉ  16.05.18 11h33
É essa hora que eu sinto orgulho dos meus alunos do 6º aninho, são mais inteligente do que alguns partidários que se metem a dar opinião nos jornais, esse é um deles, que pena desse professor, será professor mesmo? Me preocupo com seus alunos.
12
31
Regina  16.05.18 11h24
Cadê as provas?... grampos telefônicos, contas na suíça, ameaças de morte, números de contas bancárias, malas de dinheiro... ao invés disso o que se tem são delações premiadas de eminentes corruptos, presos, que são achacados por inquisidores sob a promessa de redução de pena caso delatem determinada pessoa... Enquanto isso acontece vemos Temer, Aécio, Serra, alkmin e outros corruptos de plumagem colorida, mesmo com a existência de uma vasta gama de provas contra os mesmos, serem sistematicamente ignorados por esse judiciário parcial. E indo além do mérito do texto, a tese do autor está sustentado por argumentos muito frágeis, simplistas, próximos à infantilidade.
16
29
ALEX R  16.05.18 10h30
Acho bizzaro ALGUNS defendendo o senhor "lula" oras é fato que seu governo foi e exemplo dos demais anteriores uma organização criminosa. Seus tentáculos estavam em subornos, propinas, desfalques em Estatais entre tantas coisas criminosas ....Dai vem esses "alguns" e o defendem... Deveríamos estar felizes por políticos irem presos e pagarem pro seus crimes mas n somos babacas ao ponto de defender quem nos assalta e não podemos reagir...
25
12
Angela   16.05.18 09h22
Esse é o mestre em análise de discurso.. Parabéns Professor..orgulho em ter sido tua aluna..
32
24
alexandre  16.05.18 08h55
parabéns, professor, chega de cinismos e, principalmente, de impunidade.
34
24
Robélio Orbe  16.05.18 08h01
Raramente leio os tetos deste cidadão, esquerdista por natureza, mas o titulo desta matéria deixou-me curioso e resolvi perscrutar as poucas linhas do referente artigo. Parabéns por comparar as marchinhas da "liberdade", pois concordo que foi uma versão chula da anterior.
22
16