Enquete

Você está satisfeito com as obras da Copa?

Sim

Não

Mais ou menos

  • parcial
  • votar

Publicidade

Publicidade

/ opinião
Tamanho do texto A- A+

Vereadores para a história

Fim da profissão de cobrador de ônibus revela descaso e omissão da Câmara

ADÍLSON ROSA

O dia 27 de julho ficará marcado para sempre na história de Cuiabá. É que a partir desse dia não existirá mais a função de cobrador de ônibus das linhas municipais. Restará o profissional que atuará nos micro-ônibus, linhas intermunicipais e também interestaduais.

A morte da profissão na Capital mato-grossense é obra dos vereadores que aprovaram e o prefeito sancionou a Lei 5.541, de 27 de abril de 2012.

Por tabela, a lei vai colocar Cuiabá como a pior Capital em geração de empregos em julho, uma vez que serão exterminadas mais de 1.000 funções de cobradores. Os empregos gerados não serão suficientes para cobrir esse número expressivo, graças à ação do Legislativo municipal que se empenhou na aprovação da Lei 5.541.

Não são apenas 1.000 empregos decepados. São mais de mil famílias na rua da amargura porque viviam dessa função. Mesmo com o acerto de contas, o seguro-desemprego não será suficiente para apagar essa mancha.

O curioso é que agosto é o mês do fervilhar da campanha, justamente para eleição dos vereadores. Será difícil algum vereador sair com uma faixa, bandeira ou placa propagando aos quatro cantos que ele foi a favor da Lei 5.541. Parece que nem o sindicado da categoria esperneou. Já vai longe o tempo em que sindicalistas reclamavam de algo menor que isso.

Seria interessante também que o vereador que votou contra a Lei 5.541 viesse a público e esclarecesse que não entrará para a história como exterminador da profissão de cobrador de ônibus das linhas municipais.

A Lei 5.541 teve a aprovação das empresas de ônibus, uma vez que representa redução de custos. Uma opção técnica. Será que os vereadores que votaram a favor alegaram também uma decisão técnica ao acabar com a função de cobrador de ônibus?

Se o vereador é eleito pelo voto do povo, deve tomar uma decisão política e não técnica. Só se os vereadores não andam de ônibus, não têm parentes ou funcionários que utilizam o transporte coletivo ou não têm eleitores usuários de “busão”.

Como se trata de uma lei municipal, os vereadores que assumirão o cargo em 2013 podem revogar a Lei 5.541.

ADILSON ROSA é repórter do jornal Diário de Cuiabá.






7 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Digite o código:
(Somente números)
CAPTCHA ImageRecarregar imagem
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

Ademir Bustamante  27.06.12 21h50
Se vc viajar pra qualquer pais europeu, pros EUA ou pra muitos da própria América do Sul, verá que cobrador de ônibus não existe há décadas. Assim como frentista, e diversas outras profissões que acabaram ou se transformaram com o passar dos anos. Acho, me desculpe, de um populismo barato esse discurso em defesa da profissão que é obsoleta há tempos. O que a população tem que cobrar não é a volta dos cobradores, mas sim ônibus em melhores condições.
2
1
dacio jose  27.06.12 18h09
dacio jose, seu comentário foi vetado por conter expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas
Jocemar Botoni  27.06.12 10h49
acho que devemos é acabar com os cargos de vereadores...só atrapalham...
6
1
Norma Barros  27.06.12 10h10
Norma Barros, seu comentário foi vetado por conter expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas
arlonda  27.06.12 09h22
Divulgarei essa materia com veemencia! trabalharemos ao lado daqueles candidatos que por ventura venham a debater a revogação dessa lei absurda que não passa de uma grande trairagem com o povo cuiabano! " Uma cidade avançada não é aquela em que os pobres andam de carro e sim aquela em que os ricos e políticos andam em transportes públicos!" ja dizia o pensador!
6
1

Leia mais notícias sobre :

Publicidade

Publicidade

Publicidade

1999-2014 MidiaNews - Credibilidade em Tempo Real - Tel.: (65) 3027-5770 - Todos os direitos reservados