ENQUETES

Qual sua expectativa em relação ao Governo Pedro Taques?

PUBLICIDADE

/ COPA DE 2014
Tamanho do texto A- A+

"Complexo do Porto" retira Camelôs, Acrimat e Atacadão

Projeto também abrigará o Fan Park, no antigo Parque de Exposições, estrutura obrigatória para o evento

Agecopa

Clique para ampliar

Complexo do Porto abrigará 26 espaços temáticos em uma área esquecida do histórico bairro do Porto

ISA SOUSA
DA REDAÇÃO

O advento da Copa do Mundo de 2014, em Cuiabá, não mudará apenas a estética do antigo Estádio Verdão e de ruas e avenidas. A revitalização do quase bicentenário bairro do Porto e a criação do "Complexo do Porto", com mais de 25 espaços temáticos - entre eles, o Fan Park -, faz parte do legado cultural que o evento pretende deixar para o Estado.

De acordo com a Agência Estadual de Projetos da Copa 2014 (Agecopa), a região deve começar a passar por desapropriações e readequações no próximo ano. No pacote estão previstas as saídas da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), do Supermercado Atacadão e a recolocação, no mesmo bairro, do Shopping dos Camelôs.

A Acrimat, segundo o diretor de Infraestrutura da Agecopa, Carlos Brito, irá para a rodovia MT-040, saída para Santo Antônio do Leverger, onde passará dos 17 hectares que possui atualmente para 100 hectares.

"O Porto é uma região histórica e a Acrimat, que anualmente sedia o Parque de Exposições, já está saturada. A cidade cresceu e começou a criar certas inconveniências, como o grande tráfego de veículos que o evento ocasiona, por exemplo. Já havia um projeto de retirada da Acrimat, com a Copa será possível retomá-lo", disse Brito.

Outro ponto que começou a ser discutido é a saída do Supermercado Atacadão do Porto. Na última semana, o governador Silval Barbosa, o presidente da Agecopa, Yenes Magalhães, o secretário de Indústria, Comércio, Minas e Energia, Pedro Nadaf, e o diretor geral do Atacadão, Roberto Müssnich, estiveram reunidos para negociar o novo local, sem definição ainda.

Além da saída da Acrimat e do supermercado, o Shopping Popular será reposicionado e ampliado. O projeto, baseado na nova legislação federal, de acordo com Brito, também possibilitará que o comerciante tenha sua atividade legalizada, como microempreendedor.

"O novo local trará mais conforto e segurança tanto para quem vende como para quem compra", afirmou.

Resgate histórico

A retirada da Acrimat e do Atacadão e o reposicionamento do Shopping Popular são vistos pela Agecopa como um grande resgate histórico do Porto, bairro que originou Cuiabá e hoje tem uma fama muito mais ligada à violência ou ao esquecimento do que à própria história do Estado.

Segundo Carlos Brito, além do "Complexo do Porto", que tem como principal braço para a Copa do Mundo o Fan Park, estrutura feita com telões, para que a população assista de forma segura aos jogos, atrações como um Planetário, um novo aquário, sala de cultura e centro de negócios estão previstas na remodelagem da região.

Ainda passarão por reforma os quiosques da Avenida Beira-Rio, a Arena Multicultural, o Ginásio Dom Aquino, o Mercado do Porto e o Museu e Aquário. Em fase de negociações estão a criação do Parque das Paineiras e parcerias para que áreas como o Aquário possam ser gerenciadas por forma de concessão pública.

O bairro do Porto também abrigará uma das estações de transbordo do BRT (noso sistema de transporte coletivo), a do Aeroporto-CPA. De acordo com o diretor de Infraestrutura, valores relativos à desapropriação, recolocação, reformas e construção ainda não serão divulgados.

Porém, já se sabe que para implementar esta linha do BRT na Capital, a Caixa Econômica Federal liberou um empréstimo no valor de R$ 307 milhões. Outros R$ 250 milhões do Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES) serão investidos no setor turístico.




Clique aqui e faça seu comentário

6 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Digite o código:
(Somente números)
CAPTCHA ImageRecarregar imagem
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

Sonia Farias  15.12.10 11h38
Só gostaria de saber o que irão fazer com aqueles pontos de drogas e prostituição próximo ao que dizem Museu do Porto? Sinceramente não entendo o porque de ainda não terem derrubado tudo ali ainda, pq uns fecharam as portas mas os drogados arrobaram, dai vem a desculpa de ser um patrimônio histórico, mas onde esta a historia ali para um turista ver? a realidade da prostituição e drogas? Sou moradora do Porto e me sinto envergonhada por morar em um bairro tão rico em história e cultura e ainda abrigar aquele ponto entristecedor.
0
0
carlos simões  15.12.10 02h19
"Fan Park", é duro ser colonizado!!!
0
0
Gean Carlo  15.12.10 01h51
O estado e a Agecopa já venderam pro mundo inteiro tão bem a nova imagem de Cuiabá que já ganharam muitos prêmios, congratulações, e tudo mais, só um detalhe, venderam só ficção, só virtual, feito no computador, porque o resto já está provado e é real tá tudo atrasado na mobilidade e outras obras, pois nada foi feito, acabou 2.010 e diziam que iriam começar no começo do 2° semestre de 2.009 e nada, agora dizem que é em Março/2.011, vejam vai ser um fiasco enorme se começarem tudo ao mesmo tempo e sem organização, competência e mais sem uma fiscalização rígida nestes caras....
0
0
sergio g  14.12.10 22h39
Gente, vamos por emquanto dar apoio a essas conversas todas que ocorrem por conta da copa, se conseguiren fazer 50% que estão falando já está de bom tamanho.
0
0
vieira  14.12.10 10h35
Sera? Que vamos conseguir? Olhando pra Cuiaba hoje nao parece possivel... Nao com os administradores atuais. Cuiaba realmente eh "Cidade Verde" virou um grande matagal.. Viram a Av das Torres? E os buracos? Meu Deus... Sera?? Que vamos conseguir vencer... Ou sera soh imaginacao? Cuiaba 2014 oh Deus e todos os santos olhai por nos.
0
0

Leia mais notícias sobre :

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

1999-2014 MidiaNews - Credibilidade em Tempo Real - Tel.: (65) 3027-5770 - Todos os direitos reservados