ENQUETES

Na sua opinião, o TSE deve aprovar a candidatura de Riva ao Governo?

PUBLICIDADE

/ "FRIO E CALCULISTA"
Tamanho do texto A- A+

Após matar, travesti "Sandy" foi ao salão de beleza

Ele usou dinheiro da vítima para fazer mão, pé e escova nos cabelos na manhã seguinte

Joab Barbalho / Folha do Estado

Clique para ampliar

O travesti Sandy, momentos após ser preso: latrocínio e salão de beleza

KATIANA PEREIRA
DA REDAÇÃO

Investigações da Polícia Civil a que o MidiaNews teve acesso revelam que o travesti Huanderson Barbosa Moura, a "Sandy", de 18 anos, agiu com extrema frieza na execução do plano que resultou na morte do empresário Martim Pompeo de Barros, 48, para roubar uma caminhonete S-10.

Na manhã seguinte ao latrocínio, Sandi acordou e foi direto para um salão de beleza. Lá, o travesti recebeu cuidados de manicure, pedicure, cuidou dos cabelos e fez maquiagem. Toda a despesa foi paga com o dinheiro roubado do empresário, que era proprietário de uma vídeo locadora em Cuiabá.

O delegado Silas Caldeira, da Delegacia de Repressão a Roubos e Furtos de Veículos (DERRFVA), responsável pelas investigações, classificou o travesti e seu companheiro, Rômulo Victor Cardoso de Melo, de 20 anos, que também participou do crime, de "frios e calculistas".

"Além da frieza dos dois, eles são usuários de drogas, o que agravou a situação. Em cada dia que eles consumem a droga podem fazer um tipo de loucura; dessa vez foi esse crime brutal", disse.

Caldeiras afirmou que o crime não teve outra motivação senão a financeira. "O casal estava certo que, com a venda da caminhonete roubada, seria possível fazer o implante de uma prótese de silicone em Sandy. Mesmo com a brutalidade do crime, sabemos que o interesse era puramente financeiro, tanto que o Huanderson foi ao salão com o dinheiro da vítima", disse.

O delegado disse ainda que, inicialmente, o casal negou todo o crime. "Encontramos o celular da vítima na casa do casal, no CPA III. O travesti Huanderson disse que a vítima teria pago o programa com o celular. Em nenhum momento eles mostraram arrependimento, são frios e calculistas, principalmente o rapaz que é travesti", comentou.

30 anos de cadeia

A ambição desmedida do casal pode fazer com que os dois fiquem um bom tempo atrás das grades. Caso sejam condenados eles podem pegar até 30 anos de cadeia. Eles foram acusados de latrocínio (roubo seguido de morte) e também de tráfico de drogas, pois foram encontradas quantidades consideradas de maconha e cocaína na casa dos dois.

Entenda o caso

Segundo investigações da Polícia Civil o crime aconteceu na quarta-feira passada quando o empresário teria negociado um programa com o travesti Sandi no Posto Zero, em Várzea Grande.

Já no motel, Sandy colocou o tranqüilizante na bebida de Martim. Depois que a vítima dormiu, o travesti imediatamente acionou o companheiro, que chegou no motel com um moto-taxista. Rômulo agrediu e asfixiou o empresário.

Depois disso, os dois colocaram o corpo no carro e o jogaram na região do Barreiro Branco, onde foi localizado no início da manhã de quinta-feira.
O travesti e seu companheiro foram presos 24 horas depois de terem cometido o latrocínio. O veículo foi encontrado no bairro CPA III, próximo à casa do casal.




Clique aqui e faça seu comentário

2 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Digite o código:
(Somente números)
CAPTCHA ImageRecarregar imagem
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

hericles  09.05.11 12h40
gente eu conhecia a sandy quando ella morava aki em goiania eu era amiguíssimo della nem acredito no q estou vendo muito triste isso gosto muito della...
0
0
Marcos  05.05.11 01h41
30 anos de cadeia? Onde no Brasil alguém fica tanto tempo preso? Ou sai antes pela progressão de pena ou então foge qndo recebe um desses indultos de natal, páscoa, dia das mães.. etc...
0
0

Leia mais notícias sobre :

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

1999-2014 MidiaNews - Credibilidade em Tempo Real - Tel.: (65) 3027-5770 - Todos os direitos reservados