ENQUETES

Você é a favor ou contra Silval fazer delação e ganhar a liberdade?

PUBLICIDADE

/ PRESIDENCIÁVEL
Tamanho do texto A- A+

Após Aécio aceitar exigências, Marina declara apoio a tucano

"Votarei em Aécio e o apoiarei, dando um crédito de confiança à sinceridade de propósitos", disse

MidiaNews/Reprodução

Clique para ampliar

Marina Silva anuncia seu apoio a Aécio Neves no segundo turno neste domingo (12)

DO UOL
Terceira candidata mais votada no primeiro turno das eleições presidenciais, Marina Silva (PSB) anunciou neste domingo (12) apoio formal a Aécio Neves (PSDB). O tucano disputa o segundo turno com Dilma Rousseff (PT).

"Votarei em Aécio e o apoiarei, votando nesses compromissos, dando um crédito de confiança à sinceridade de propósitos do candidato e de seu partido e, principalmente, entregando à sociedade brasileira a tarefa de exigir que sejam cumpridos", disse Marina ao ler nota.

O apoio foi dado um dia após o tucano se comprometer a cumprir, mesmo que de forma vaga, quase todas as exigências feitas pela ex-senadora.

Em documento divulgado pela campanha de Aécio, ele se comprometeu a garantir ao Executivo o papel de demarcação de terras indígenas, a ampliar a reforma agrária e acabar com a reeleição de cargos do Executivo.

O único dos principais pontos que ficou de fora do documento lido por Aécio foi a redução da maioridade penal, que Marina é contra.

"Quero, de início, deixar claro que entendo esse documento como uma carta compromisso com os brasileiros, com a nação. Rejeito qualquer interpretação de que seja dirigida a mim, em busca de apoio", disse a ex-senadora.

Ao apoiar o tucano, Marina não repete o que fez em 2010, quando também terminou o pleito na terceira posição. Na ocasião, ela preferiu ficar neutra em relação à disputa entre Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB).

Marina comparou Aécio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2010). "Ao final da presidência de Fernando Henrique Cardoso [1995-2002], a sociedade brasileira demonstrou que queria a alternância de poder, mas não a perda da estabilidade econômica. E isso foi inequivocamente acatado pelo então candidato da oposição, Lula, num reconhecimento do mérito de seu antecessor", leu a ex-senadora, que foi ministra do Meio-Ambiente no governo petista.

"Agora, novamente, temos um momento em que a alternância de poder fará bem ao Brasil (...) Aécio retoma o fio da meada virtuoso e corretamente manifesta-se na forma de um compromisso forte, a exemplo de Lula em 2002, que assumiu compromissos com a manutenção do Plano Real, abrindo diálogo com os setores produtivos", declarou.

Ao declarar o apoio, Marina declarou que tomou a decisão após os partidos da sua coligação anunciarem suas posições no segundo turno.

A Rede Sustentabilidade, o movimento político de Marina, que pretende se transformar em um partido, pediu a seus militantes que no segundo turno não votem em Dilma ao recomendar voto branco, nulo ou em Aécio.

O PSB, partido pelo qual Marina concorreu à Presidência, declarou seu apoio ao tucano. Ontem, a família do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, morto em um acidente aéreo em agosto, também declarou apoio formal a Aécio.

Horas após o anúncio da família de Campos, o presidente nacional do PSB, Roberto Amaral, divulgou uma carta aberta em que apoia a reeleição de Dilma e afirma que seu partido "traiu a luta" de Eduardo Campos ao se aliar a Aécio.



Clique aqui e faça seu comentário


6 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Marque "Não sou um robô:"
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

Henrique  13.10.14 09h25
Aécio e Marina se merecem. Marina construiu sua militância no PT e na Igreja Católica. De repente, com sua gana pelo poder, virou as costas para tudo isso. Agora está do lado de quem ela sempre combateu. E o Aécio... só o fato de ter perdido em MG já diz tudo: quem conhece Aécio não vota nele!
0
11
SANDRO KORMANN  13.10.14 06h45
A posição da Marina foi inteligente, seria uma oposição digna. Ela fez as exigencias para dar apoio e Aécio acatou. Ela fez a oposição e ele baixou a guarda e aceitou algumas mudanças exigidas por ela e seu partido. Agora esperamos sim que ela continue como oposição e cobre os acordos que ela negociou com Aécio. Isso é oposição inteligente, sem atrapalhar o governo(como o PT sempre fez) e sim cobrando que se faça o correto. Parabens a democracia, Parabens ao Brasil. E que sirva de lição ao PT PMDB E pp.
9
1
maria maria  13.10.14 02h01
Acabar com a reeleição?! Piada né? Esperta ela, ou seja, se isso acontecesse, na próxima campanha, aecio fica impedido, bem como os demais, ai sobre chance só pra ela!!!!!! A reeleição entendo como um premio, um estimulo, o candidato no seu primeiro mandato, vai dar o melhor de si para ser reeleito, agora sem isso, eles não vão dar o melhor de si, quem não der não é reeleito, agora quem der, merece.
1
4
Henrique  12.10.14 20h05
Realmente, é compreensível. Marina construiu toda sua militância no PT e na Igreja católica. Depois, virou as costas para todos, pulou de partido em partido e agora está do lado de quem ela combateu a vida toda. Na verdade, pessoas assim - Marina e Aécio - se merecem!
0
6
Domingos  12.10.14 19h51
Sempre existe possibilidade de piorar o que parecia estar dando certo...
0
7

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

1999-2017 MidiaNews - Credibilidade em Tempo Real - Tel.: (65) 3027-5770 - Todos os direitos reservados