ENQUETES

Você é a favor ou contra O FIM do estatuto do desarmamento?

PUBLICIDADE

Cotidiano / COMÉRCIO NO TCE
21.05.2014 | 15h46
Tamanho do texto A- A+

Maggi teria avalizado R$ 4 milhões para vaga de Ricardo

Empresário disse que dinheiro foi para Alencar Soares, com aval de Maggi

Secom TCE

Clique para ampliar

O conselheiro Sérgio Ricardo, que teria sido beneficiado com vaga

DA REDAÇÃO
O ministro Dias Tofolli, do Supremo Tribunal Federal (STF), citou em sua decisão, que autorizou a prisão de Eder Moraes e do deputado José Riva (PSD), que documentos apreendidos pela Polícia Federal, e as declarações do empresário Júnior Mendonça, comprovariam o pagamento de R$ 4 milhões para a compra de uma vaga de conselheiro no Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT).

Por meio de “delação premiada”, para reduzir sua eventual pena perante a Justiça, Mendonça contou que, em 2009, o então governador Blairo Maggi (PR), obteve dele, por meio de Eder Morais, R$ 4 milhões para pagar o então conselheiro Alencar Soares.

Alencar Soares - que também teve sua casa alvo de busca e apreensão, ontem (20) - teria recebido o dinheiro das mãos de Júnior Mendonça, a pedido, e na presença, de Eder Moraes, que, por sua vez, agiria “no interesse e a mando de Blairo Borges Maggi”.

Segundo os autos, Sérgio Ricardo, então deputado estadual, já teria pago R$ 4 milhões a Alencar, pra que ele deixasse a vaga.

O repasse de Mendonça a Alencar Soares teria servido para que ele pudesse devolver a Sérgio Ricardo os R$ 4 milhões anteriormente dele recebidos – e, alegadamente já gastos.

O pagamento dessa segunda vantagem foi feito pela empresa Globo Fomento Ltda., de Júnior Mendonça.

“Cachorro-grande”

Em depoimento, Júnior Mendonça alegou que soube do contexto da venda da vaga ainda no gabinete do conselheiro Alencar Soares, tendo entregue a ele um cheque de R$ 2,5 milhões para “quitação do empréstimo”.

Segundo Mendonça, Maggi teria assumido o compromisso de quitar o empréstimo posteriormente.

Às autoridades, Mendonça disse que “este compromisso de Blairo Maggi a Alencar ocorreu durante viagem que fizeram, no ano de 2009, à África do Sul".

Segundo ele, durante a viagem, Maggi teria questionado a Alencar o motivo de estar saindo do TCE, antes de sua aposentadoria.

Alencar teria relatado a Maggi que já teria recebido, como adiantamento, um pagamento parcial, de R$ 2.5 milhões, do então deputado Sérgio Ricardo, bem como já teria gasto o valor.

Junior contou que somente ficou sabendo desse contexto do empréstimo já no gabinete, e na frente, de Alencar Soares. E que se sentiu “desajeitado”, pois viu que estava entrando em uma “briga de cachorro grande” e, por isso, entregou o cheque.

Cobrança: quatro vezes

Mendonça disse ainda que, embora nunca tenha se reunido para emprestar recursos diretamente a Maggi, se reuniu com ele em quatro oportunidades, para "confrontá-lo a respeito do pagamento pelo empréstimo".

O primeiro encontro teria acontecido na sede do grupo Amaggi, a seu pedido, para cobrar o empréstimo referente a Alencar Soares.

Mendonça disse no depoimento da dificuldade que teve em agendar uma reunião com Maggi, já que ele estaria “blindado”. Por isso, recorreu ao seu falecido sogro, Ary Campos, ex-presidente do TCE-MT para agendar reunião com Maggi.

Na reunião, Maggi teria ficado “surpreso” com a presença de Mendonça - e questionado a razão pela qual ele não agendou diretamente.

O segundo encontro entre Mendonça e Maggi teria ocorrido na sala das comissões, no Senado Federal, em Brasília, em conjunto com Fernando Mendonça (também investigado pela Polícia Federal por suspeita de lavagem de dinheiro).

“Junior se encontrou com Maggi e, novamente, questionou sobre quando ocorreria o acerto da dívida. E, mais uma vez, Maggi disse que iria ver como resolveria a situação”.

O empresário disse que a cobrança foi realizada na presença de Fernando Mendonça, vez que este também teria credito a receber. Ele afirmou que, ao final da conversa, ele é Fernando passaram no gabinete de Taques, porém esse não estava presente, e decidiram almoçar e retornar a Cuiabá.

Mendonça disse ainda, em seu depoimento, que o terceiro e quarto “confrontos” entre ele e Maggi, para a cobrança dos valores referentes à transação envolvendo Alencar Soares e Sérgio Ricardo, aconteceram na seda do Grupo Amaggi.

Destas vezes, ele disse que agendou os encontros diretamente com Maggi.

Leia mais sobre o assunto:

Alvo da PF diz que pagou R$ 1,4 milhão a Chico Galindo

Ministro do STF negou busca na Amaggi e gabinete de Silval

Juiz cita indícios de "parceria" de Eder e Júnior Mendonça

Silval paga fiança por arma de fogo e é liberado pela PF

Bosaipo e Alencar Soares também foram alvos de buscas

Detidos, PF leva Eder e Riva para Brasília; veja fostos e vídeo

Ministro do STF cita "caderno espiral" de Silval Barbosa

Silval e Mendes teriam recebido R$ 8 milhões para campanhas

Empréstimo de R$ 3,4 milhões e contrato motivaram busca

Suspeito, gerente do Bic Banco está preso em Cuiabá

Palácio do Planalto avalia que ação contra Silval é "retaliação"

PF prende Eder e Riva e realiza buscas na Assembleia

PF investiga suposta "compra" de vaga no Tribunal de Contas

Ministro ordenou prisão de deputado e ex-secretário em MT

Ministério Público Estadual também seria alvo de operação da PF

Promotor do Gaeco foi alvo da PF; MPE emite nota

Maggi é investigado pelo STF por suposta lavagem de dinheiro



Clique aqui e faça seu comentário


5 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Marque "Não sou um robô:"
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

arthur venceslau  22.05.14 14h01
Agora eu te pergunto: pra que Tribunal de Contas?
14
0
Douglas M  22.05.14 10h50
Tem que acabar essas indicações para o tribunal de contas. Deveria ser somente através de concurso publico.
35
0
Ana Maria Prates  21.05.14 18h59
Ana Maria Prates, seu comentário foi vetado por conter expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas
FERREIRA  21.05.14 16h48
QDO que a comissão de ética do senado vai se pronunciar sobre o envolvimento do senador BLAIRO MAGGI?
119
5
Roque  21.05.14 16h10
Roque, seu comentário foi vetado por conter expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

1999-2017 MidiaNews - Credibilidade em Tempo Real - Tel.: (65) 3027-5770 - Todos os direitos reservados