Cuiabá, Quinta-Feira, 24 de Janeiro de 2019
Fogo Amigo
13.05.2018 | 09h03 Tamanho do texto A- A+

"Estava irritado"

Ex-Ager isenta Taques em operação

DA REDAÇÃO
Eduardo Moura

Ex-presidente da Ager Eduardo Moura, que foi conduzido coercitivamente à Defaz

No dia em que foi conduzido coercitivamente até a Defaz, na Operação Rota Final, o ex-presidente da Ager, Eduardo Moura, levantou a suspeita de que o governador Pedro Taques (PSDB) pudesse estar por trás da ação, já que dias antes ele havia assinado um manifesto contra a reeleição do tucano.

 

Agora, após ter acesso às investigações, se diz convicto de que não há o dedo do governador por trás da ação policial.  

 

“Eu não falei que era coisa do governador, mas falei que era o jeito dele de fazer política. E é. O Pedro trabalha com dossiê, ameaça, é o jeito MP de fazer política. Não cheguei a dizer que foi ele, mas estranhei”, afirmou em entrevista nesta samana.

 

“Mas hoje eu estou convencido que o governador não tem nada a ver com isso. Hoje estou certo que é coisa do MPE, que é uma fiscalização que vem sendo feita há mais tempo. Nesse ponto eu quero dizer que o governador não tem nada com isso. Na hora eu estava irritado", disse.




Leia mais notícias sobre Fogo Amigo:
Janeiro de 2019
23.01.19 21h00 » Combate ao crime
23.01.19 16h20 » De mudança; veja
23.01.19 12h00 » Fruto da omissão
23.01.19 10h19 » Bronca pública
23.01.19 09h27 » Caixa vazio
23.01.19 08h30 » Uma noite na AL
22.01.19 17h40 » Protesto na AL
22.01.19 17h00 » Colarinho branco
22.01.19 14h38 » Pecuária em "crise"
22.01.19 10h20 » Grampolândia