ENQUETES

Você é a favor ou contra O FIM do estatuto do desarmamento?

PUBLICIDADE

Política / CONTAS DO GOVERNO
12.10.2017 | 16h20
Tamanho do texto A- A+

Folha de pagamento cresce quase 10% acima da inflação em 2017

Governo do Estado teve dificuldades para quitar salários na data estipulado em outubro

Alair Ribeiro/MidiaNews

Clique para ampliar

O secretário de Estado de Fazenda, Gustavo de Oliveira

DA REDAÇÃO

Na semana em que o Governo do Estado escalonou o pagamento dos salários dos servidores públicos, números da Secretaria de Estado de Fazenda revelaram o crescimento da folha de pagamento sobre as despesas.

 

Conforme balanço da Secretaria de Estado de Fazenda, os gastos com pessoal e encargos sociais tiveram crescimento nominal (sem considerar a inflação) de 13% de janeiro a agosto deste ano, na comparação com o mesmo período do ano passado. Quando descontada a inflação, o aumento real é de 9,9%.

 

Nesta semana, o Tribunal de Contas do Estado emitiu um alerta para o governador Pedro Taques pelo extropolamento do limite prudencial de gasto com folha, conforme a Lei de Responsabilidade Fiscal.

 

Nos primeiros oito meses de 2016, o gasto com esta rubrica chegou a R$ 5,773 bilhões. Já no mesmo período de 2017, o valor é R$ 6,410 bilhões.

 

Os números levaram preocupação ao Governo do Estado, uma vez que as receitas cresceram 3,7% apenas, o que dá um pouco mais que a variação da inflação.

 

Os dados constam no relatório do Cumprimento das Metas Fiscais do Segundo Quadrimestre de 2017, apresentado pelo secretário de Estado de Fazenda Gustavo de Oliveira nesta semana.

 

De janeiro a agosto de 2017, a receita realizada somou R$ 10,994 bilhões, enquanto a despesa liquidada totalizou R$ 10,955 bilhões. No período ainda houve um superávit de R$ 37,6 milhões porque algumas despesas empenhadas no período ainda serão liquidadas.

 

Se comparada ao projetado na Lei Orçamentária Anual (LOA) para 2017, a receita ficou 7,8% menor que o previsto, o que em números absolutos representa R$ 1,012 bilhão a menos que o esperado.

 

O Governo vai usar os números para convencer deputados, inclusive os da oposição, sobre a necessidade redução dos gastos.  A principal medida, conforme o Executivo, é aprovar a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) do Teto de Gastos.

 

O projeto limita o crescimento dos gastos de todos os Poderes, para que a União conceda o alongamento de dívidas e promova a troca do índice dos juros. Assim, Mato Grosso poderá conseguir um fôlego de até R$ 1,3 bilhão ao final de 2018.   

 

Receita corrente

 

Entre as receitas correntes, a tributária de 2017 ficou 2,5% acima que a verificada em igual período do ano anterior. Entre janeiro e agosto deste ano totalizou R$ 6,989 bilhões ante R$ 6,818 bilhões dos oito primeiros meses de 2016. Mas ficou 5,1% abaixo que a projetada na Lei Orçamentária Anual.




Clique aqui e faça seu comentário


9 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Marque "Não sou um robô:"
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

Marco  14.10.17 07h13
Segundo o diário oficial, no período 2012 a 2014, dizem os relatórios da LRF que o governo anterior manteve tudo em dia, mesmo não recebendo verbas federais. O FEX de 2014 foi recebido em 2015 pelo próprio governo atual, no entanto o ex-governador pagou todos os salários, poderes, divida e etc dentro do mês de dezembro de 2014.
0
0
FERNANDO  13.10.17 09h15
DEMITE TODOS OS COMISSIONADOS E DEIXA O TRABALHO PARA OS CONCURSADOS, POIS JÁ GANHAM MUITO BEM PRA ISSO, PORÉM SABEMOS QUE TEREMOS UM GRANDE PROBLEMA UMA VEZ QUE OS COMISSIONADOS LEVAM O ESTADO NAS COSTAS.
3
2
Rogério  13.10.17 09h11
Quero saber em quanto cresceu a renúncia fiscal comparando o ano de 2016 com o de 2017? Cresceu 130%! Fonte:http://www.atribunamt.com.br/2016/07/renuncia-fiscal-e-engodo-em-mt-e-cresce-130-nos-ultimos-anos/
2
0
LEANDRO  13.10.17 08h48
E o Agronegócio. Continua sem pagar imposto?
5
0
Chico  13.10.17 00h22
Chico, seu comentário foi vetado por conter expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

1999-2017 MidiaNews - Credibilidade em Tempo Real - Tel.: (65) 3027-5770 - Todos os direitos reservados