ENQUETES

Na sua opinião, os "Amarelinhos" da Prefeitura de Cuiabá:

PUBLICIDADE

Política / GRAMPOS S/A
15.05.2017 | 08h50
Tamanho do texto A- A+

Janaina diz que vai propor CPI para apurar “arapongagem”

A deputada disse que o governador adotou uma postura “covarde”

MidiaNews

Clique para ampliar

A deputada Janaina Riva: governador fomentou políticas "tortas" e "levianas"

CAMILA RIBEIRO
DA REDAÇÃO

A deputada estadual Janaina Riva (PMDB) afirmou que irá propor, nesta semana, a instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a suposta rede clandestina de grampos ilegais realizada pela Polícia Militar (PM-MT).

 

A denúncia, feita pelo promotor de Justiça Mauro Zaque, aponta que as interceptações foram feitas pela PM de Mato Grosso, sob a conivência do governador Pedro Taques (PSDB).

 

Os alvos dos grampos seriam adversários políticos do governador, a exemplo da própria Janaina, além de advogados e jornalistas.

 

Por entender que não há espaço para práticas desse nível rasteiro no Brasil, a deputada Janaina Riva proporá a instauração de uma CPI para investigar a prática ilegal de arapongagem por parte do primeiro escalão do Governo Pedro Taques

“Por entender que não há espaço para práticas desse nível rasteiro no Brasil, a deputada Janaina Riva proporá na próxima terça-feira a instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar a prática ilegal de arapongagem por parte do primeiro escalão do Governo Pedro Taques”, disse a parlamentar, em nota encaminhada à imprensa.

 

No documento, a deputada afirmou ter ficado indignada com os atos de invasão indevida à sua intimidade e à sua privacidade.

 

Ela afirmou que teve dois telefones grampeados no esquema chamado de “barriga de aluguel”, quando números de telefones de cidadãos, sem conexão com uma investigação, são inseridos em um pedido de quebra de sigilo telefônico à Justiça.

 

Ainda de acordo om Janaina, tais atos se configuram em uma "política leviana" de ataque à oposição.

 

“Atos de governo foram realizados em detrimento dos direitos mais básicos dos indivíduos (intimidade e privacidade) com o objetivo escuso de, ao que tudo indica, fomentar políticas tortas e levianas de ataque à oposição, a inimigos e a autoridades. Em suma, na falta de bons argumentos e de projetos de governo de qualidade, almejou o Governo Pedro Taques silenciar a oposição através de práticas criminosas”, disse ela.

 

"Covardia"

 

Na nota, a deputada afirmou ainda que o governador Pedro Taques estaria se limitando a “fugir do problema”, alegando desconhecimento sobre os fatos denunciados.

 

“A CPI se justifica especialmente em razão do absurdo que significa o ainda governador Pedro Taques, com seu autopropalado saber jurídico, se limitar a alegar desconhecimento acerca da matéria e covardemente buscar fugir ao problema, imputando a membros do Ministério Público uma conduta criminosa que - por ação ou por omissão - foi praticada por ele próprio, chefe do Poder Executivo e da Polícia Militar”, afirmou.

 

“Pedro Taques, na qualidade de Comandante Máximo da Polícia Militar, não pode pretender fugir à responsabilidade, que é sua, pela ocorrência desses lamentáveis episódios”, disse ela.

 

Atos de governo foram realizados, ao que tudo indica, para fomentar políticas tortas e levianas de ataque à oposição

A parlamentar afirmou também que irá apresentar pedido de investigação criminal à Procuradoria Geral da República e ao Conselho Nacional de Justiça.

 

Veja nota na íntegra:

 

"A deputada Janaina Riva vem a público manifestar sua profunda indignação com os lamentáveis atos de invasão indevida à sua intimidade e à privacidade de inúmeros outros cidadãos do Estado do Mato Grosso.

 

O que foi praticado por dirigentes de alto escalão do Governo Pedro Taques, conforme apuração jornalística da Rede Globo, demonstra que atos de governo foram realizados em detrimento dos direitos mais básicos dos indivíduos (intimidade e privacidade) com o objetivo escuso de, ao que tudo indica, fomentar políticas tortas e levianas de ataque à oposição, a inimigos e a autoridades. Em suma, na falta de bons argumentos e de projetos de governo de qualidade, almejou o Governo Pedro Taques silenciar a oposição através de práticas criminosas.

 

Com efeito, nos últimos dias, uma equipe séria de repórteres profissionais e de cacife nacional noticiou a existência de vergonhosas interceptações telefônicas ilegais no Estado de Mato Grosso, notadamente de políticos, advogados, jornalistas e particulares que, de alguma forma, se dedicaram com empenho a fiscalizar os atos praticados pelo Poder Executivo Estadual.

 

A Deputada Janaina Riva afirma que, por incrível que possa parecer, ainda mais estarrecedor do que a peculiar e constante arrogância do Governador Pedro Taques, foi a utilização, como "barriga de aluguel", da insigne corporação da Polícia Militar do Mato Grosso e do Poder Judiciário local para fazer inserir diversos terminais telefônicos de terceiros em meio a investigações policiais em curso para espionar agentes públicos, assim como particulares de interesse do governo.

 

Dois terminais telefônicos de titularidade da deputada Janaina Riva foram grampeados por vários meses, o que, além de uma gravíssima infração às garantias fundamentais e parlamentares, representou uma devassa da sua intimidade pessoal, familiar e profissional.

 

Por entender que não há espaço para práticas desse nível rasteiro no Brasil, a deputada Janaina Riva proporá na próxima terça-feira a instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar a prática ilegal de arapongagem por parte do primeiro escalão do Governo Pedro Taques.

 

A CPI se justifica especialmente em razão do absurdo que significa o ainda governador Pedro Taques, com seu autopropalado saber jurídico, se limitar a alegar desconhecimento acerca da matéria e covardemente buscar fugir ao problema, imputando a membros do Ministério Público uma conduta criminosa que - por ação ou por omissão - foi praticada por ele próprio, chefe do Poder Executivo e da Polícia Militar.

 

Pedro Taques, na qualidade de Comandante Máximo da Polícia Militar, não pode pretender fugir à responsabilidade, que é sua, pela ocorrência desses lamentáveis episódios.

 

Além da CPI, a Deputada Janaina Riva apresentará pedido de investigação criminal à Procuradoria Geral da República e ao Conselho Nacional de Justiça.

 

Certa de que a impunidade do ainda governador Pedro Taques não será tolerada pela população do Estado do Mato Grosso, a deputada Janaina Riva reitera a sua confiança nas instituições do Estado do Mato Grosso e afirma que fará tudo o que estiver ao seu alcance para que os responsáveis por tamanhos desmandos sejam exemplarmente punidos."

 

Leia mais sobre o assunto:

 

Zaque diz que saiu do Governo porque Taques não agiu

 

Fantástico mostra esquema de grampos clandestinos em MT; veja

 

Taques diz que promotor tentou intervir em nomeação de chefe do MPE

 

“Vamos investigar e a ordem é responsabilizar quem quer que seja”

 

Taques nega "arapongagem" oficial e diz que vai processar Zaque

 

Gaeco diz que não investigou grampos envolvendo autoridades

 

Advogado diz que foi grampeado quando atuou na campanha de 2014

 

Botelho afirma que investigação contra Governo é “natimorta”

 

Deputados e jornalista seriam alvos de escutas ilegais em MT

 

Paulo deixa Governo e atuará em denúncia de "grampo" ilegal




Clique aqui e faça seu comentário


9 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Marque "Não sou um robô:"
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

Maria de jesus  16.05.17 09h58
Vao trabalhar. Que importancia tem esses grampos diante de tantos problemas sociais em nossa sociedade, pessoas morrendo na fila dos hospitais, criança sofrendo violencia todos os dias dos mais variados tipos; gente acorda!!!! Tantos problemas para resolver. Acorda janaina, sai da sua bolha, do seu mundo cor de rosa. Da uma ida no hospital adauto botelho, hospital do cancer, lar das crianças abandonadas vitima dessa sociedade desigual.
7
5
Douglas   15.05.17 22h53
Mas os grampos não começaram em 2014, antes das eleições, quando Taques sequer era governador? É os relatórios das interceptações que devem ser repassadas ao juízo? Aço que a história não é bem da forma que estão contando, e a oposição, oportunista, não perde a oportunidade para mimizar.
4
6
Ferdinando  15.05.17 20h37
Mas investigar políticos e deputados não é perca de tempo?
1
2
Hugo  15.05.17 12h53
QUEM FEZ O RELATÓRIO DOS PEDIDOS DE GRAMPOS. TA FÁCILZINHO DE RESOLVER.
37
4
Alves  15.05.17 12h32
Deputados que não assinarem , estaram queimados na próxima eleição !!!! # forataques
38
33

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

1999-2017 MidiaNews - Credibilidade em Tempo Real - Tel.: (65) 3027-5770 - Todos os direitos reservados