Cuiabá, Quinta-Feira, 15 de Novembro de 2018
SUBSTITUTA
08.11.2018 | 16h04 Tamanho do texto A- A+

“Nova ministra terá todo meu apoio e do setor agrícola inteiro”

Deputada de MS foi indicada pela FPA para o cargo; Maggi espera continuidade de trabalhos

Alair Ribeiro/MidiaNews

O ministro da Agricultura Blairo Maggi: apoio à nova ministra

DOUGLAS TRIELLI
DA REDAÇÃO

O ministro da Agricultura Blairo Maggi (PP) afirmou que a indicação da deputada federal Tereza Cristina (DEM-MS) para substituí-lo no cargo terá seu apoio e do setor agrícola.

 

A escolha foi anunciada nesta semana pelo presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL).

 

O ministro mato-grossense disse ter gostado da escolha.

 

“Ela terá todo meu apoio e o apoio do setor agrícola inteiro. Já foi secretária de Mato Grosso do Sul. Conhece profundamente as coisas e fiquei muito feliz com a escolha do nome dela. Vamos em frente”, disse.

 

A deputada é a atual presidente da Frente Parlamentar Agropecuária do Congresso Nacional, conhecida como bancada ruralista. Ela é engenheira agrônoma e empresária.

 

Ela terá todo meu apoio e o apoio do setor agrícola inteiro. Já foi secretária de Mato Grosso do Sul. Conhece profundamente as coisas

Maggi disse ser próximo da parlamentar e que acredita que ela dará continuidade ao trabalho desenvolvido por ele ao longo de quase dois anos.

 

“Ela sempre esteve muito próxima de mim nessa passagem pelo Ministério. Ela é presidente da Frente Parlamentar da Agricultura. Então, nosso entrosamento é muito bom. Eu gostei muito do nome dela”, afirmou.

 

“Com certeza, vai dar continuidade ao trabalho que nós fizemos. Claro, vai colocar o ritmo e a personalidade dela lá no Ministério, mas terá todo meu apoio”, completou.

 

JBS           

                                                                            

Nesta quinta-feira (08), a Folha de São Paulo revelou que a deputada tem negócios com o grupo JBS.

 

Ela afirmou que tem participação de um quinto na propriedade arrendada ao grupo. Mas negou conflito de interesses e disse não haver desconforto em assumir o ministério.

 

"Eu tenho uma propriedade, um condomínio com meus irmãos, sou inventariante e minha família arrenda um confiamento para a JBS, que é do lado da nossa propriedade. Isso há muitos anos", disse.

 

"Só se eu fizesse alguma coisa escondida. Está tudo dentro da lei, com contrato assinado, não vejo nenhum problema. Se o presidente me perguntar, estão lá os documentos".

 

Leia mais sobre o assunto:

 

Indicada admite negócio com a JBS, mas nega conflito de interesse

 

Bolsonaro anuncia Tereza Cristina como ministra da Agricultura




Clique aqui e faça seu comentário


COMENTÁRIOS
0 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Marque "Não sou um robô:"
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia