ENQUETES

Como você avalia o atendimento do Detran-MT?

PUBLICIDADE

Política / MUDANÇA
11.05.2017 | 16h25
Tamanho do texto A- A+

Paulo deixa Governo e atuará em denúncia de "grampo" ilegal

Ele afirmou que irá voltar a se dedicar à advocacia, inclusive sendo defensor do governador

MidiaNews

Clique para ampliar

O advogado Paulo Taques, que deixou a Casa Civil nesta quinta

DA REDAÇÃO

O governador Pedro Taques (PSDB) decidiu, nesta quinta-feira (11), exonerar, a pedido, o advogado Paulo Taques da secretaria da Casa Civil.

 

Primo do governador, Paulo estava no cargo desde o início do Governo, em janeiro de 2015. Ele disse que há tempos já vinha conversando com o governador sobre sua saída e que voltará a se dedicar a seu escritório de advocacia.

 

Segundo apurou a reportagem, a interlocutores, ele negou que uma denúncia, sobre grampos ilegais que teriam sido feitos com respaldo do Executivo, esteja relacionada à sua saída.

 

A denúncia está sendo investigada pelo Ministério Público Federal (leia abaixo).


O governador anunciou a nomeação do atual adjunto da Casa Civil, José Adolpho de Lima Avelino Vieira no lugar de Paulo Taques.

 

"Grampos ilegais"


Segundo apurou a reportagem, a denúncia de que o Executivo patrocinava escutas telefônicas ilegais, contra adversários, jornalistas e advogados, entre outros, acusa três oficiais ligados ao Palácio Paiaguás, além do próprio governador.

 

Por meio de nota, o Governo confirmou que Paulo Taques irá atuar como advogado nesse inquérito.

 

"Entre os processos que Paulo Taques vai atuar, como advogado, está uma investigação em curso na Procuradoria Geral da República sobre denúncia feita pelo ex-secretário de Segurança Pública do Estado, promotor Mauro Zaque, e seu adjunto, Fábio Galindo, sobre existência de interceptações telefônicas clandestinas no âmbito da Polícia Militar", diz a nota.


Segundo o Gabinete de Comunicação, a denúncia foi feita pelo ex-secretário de Segurança Pública do Estado, promotor Mauro Zaque, ao governador em outubro de 2015. Em seguida, Taques remeteu o caso ao Ministério Público Estadual, por meio do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) para investigação.

 

No mesmo mês de outubro de 2015, porém, o Gaeco arquivou as investigações por "insuficiência de evidências do denunciado".

 

Segundo o Governo, na ocasião, o Gaeco se posicionou da seguinte maneira: “Não verifico qualquer outro elemento que justifique falar-se em interceptação telefônica clandestina, razão pela qual determino o arquivo do PRO, com as respectivas baixas".

 

O caso, hoje, todavia, encontra-se sob apreciação da Procuradoria Geral da República, uma vez que a mesma denúncia fora encaminhada para lá.

 

Veja na íntegra a nota do Governo sobre a saída de Paulo Taques:

 

"O governador Pedro Taques anunciou nesta quinta-feira (11.05) a saída, a pedido, do advogado Paulo Taques da secretaria da Casa Civil. Paulo Taques, que estava no cargo desde o início do Governo, em janeiro de 2015, volta a se dedicar à sua atividade profissional na advocacia, inclusive reassumindo o papel de advogado pessoal de Pedro Taques.

 

O governador também anunciou a nomeação do atual adjunto da Casa Civil, José Adolpho de Lima Avelino Vieira, que também já atuava na secretaria desde o início do Governo, para suceder Paulo Taques. Os atos de exoneração e nomeação serão publicados no Diário Oficial do Estado que circulará nesta sexta-feira (12.05).

 

Missão

 

Pedro Taques comentou que a missão que havia dado a Paulo Taques na Casa Civil – de organizar as rotinas e articulação internas do Governo e criar canais permanentes de amplo diálogo do Executivo Estadual com os demais poderes e a sociedade já foram cumpridas e que o próprio Paulo Taques havia lhe pedido para ficar na função por tempo determinado, já que não poderia se ausentar por muito tempo do seu escritório de advocacia para não prejudicar as causas de seus clientes.

 

“Eu quero aqui reconhecer o grande trabalho feito pelo secretário Paulo Taques na Casa Civil, nos ajudando muito a criar as condições necessárias para fazermos a transformação que nos propusemos a promover no Estado de Mato Grosso e na vida dos mato-grossenses. Agradeço muito ao comprometimento e a grande contribuição que o Paulo deu ao nosso Governo, mas compreendo suas necessidades profissionais. O Paulo continua sendo estratégico ao nosso Governo, e vai voltar a cuidar de vários processos judiciais do meu interesse”, frisou o governador.

 

Processos

 

Entre os processos que Paulo Taques vai atuar está uma investigação em curso na Procuradoria Geral da República sobre denúncia feita pelo ex-secretário de Segurança Pública do Estado, promotor Mauro Zaque, e seu adjunto, Fábio Galindo, sobre eventual existência de interceptações telefônicas clandestinas no âmbito da Polícia Militar.

 

A denúncia, supostamente recebida por eles anonimamente, foi feita pelo ex-secretário ao governador em outubro de 2015. Ato contínuo, o governador remeteu o caso ao Ministério Público Estadual, por meio do GAECO (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) para investigação. No mesmo mês de outubro de 2015, porém, o Gaeco fez a Promoção do Arquivamento das investigações por insuficiência de evidências do denunciado. “Não verifico qualquer outro elemento que justifique falar-se em interceptação telefônica clandestina, razão pela qual determino o arquivo do PRO, com as respectivas baixas...”, escreveu o então Coordenador do GAECO Marco Aurélio de Castro, em 27 de outubro de 2015. O caso, hoje, todavia, encontra-se sob apreciação da Procuradoria Geral da República, uma vez que a mesma denúncia fora encaminhada para lá.

 

“Tenho orgulho de ter podido contribuir com a administração do Pedro Taques, que está transformando para melhor a vida dos mato-grossenses. Mantenho a minha convicção de que Pedro Taques entrará para a história como um dos melhores governadores de Mato Grosso, e foi uma honra pessoal ser parte disso. Volto agora para a minha trincheira, que é a advocacia, mas continuarei fazendo o bom combate na defesa dos interesses de Mato Grosso”, argumentou Paulo Taques.

 

Currículo

 

O novo secretário-chefe da Casa Civil, José Adolpho de Lima Avelino Vieira, tem 43 anos, é graduado em Administração e pós-graduado com MBA em Gestão de Pessoas e também em Inovação e Difusão Tecnológica. Atuou como assessor parlamentar, como fiscal do Conselho Regional de Administração de Mato Grosso e, desde janeiro de 2015, é secretário adjunto de Gestão Integrada e Modernização Institucional da Casa Civil. Em pouco mais de dois anos à frente da função, assumiu interinamente a chefia da Casa Civil em quatro oportunidades na ausência do titular da pasta."

 




Clique aqui e faça seu comentário


2 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Marque "Não sou um robô:"
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

nilton  12.05.17 13h52
a PGE/MT não teria de defender o governo? como um advogado particular irá fazer isso?
24
3
BENTO FILHO  11.05.17 18h26
Dr. Paulo Taques, existem missões que são extremamente sublimes nesta vida, algumas imitam a nobreza do amor de Deus, outras a justiça, a cultura, a saúde, projetos, mas todas são exercidas por profissionais. Todas elas merecem o respeito e gratidão. Você que é um profissional digno da mais profunda admiração pela forma incansável, com a qual se dedicou ao cargo de secretario. Não poderia deixar de lhe prestar as minhas homenagens, somos os auxiliares naturais e legais da justiça; e, pela minha parte que lutam em prol de uma vida melhor com sucesso. Seja bem vindo de volta ao exercício da advocacia. Meus Parabéns!
13
85

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

1999-2017 MidiaNews - Credibilidade em Tempo Real - Tel.: (65) 3027-5770 - Todos os direitos reservados