ENQUETES

Como você vai gastar seu 13º salário?

PUBLICIDADE

Política / TRANSPORTE
23.12.2015 | 18h00
Tamanho do texto A- A+

Projeto propõe a implantação do VLT em área metropolitana

PEC, de autoria do deputado Emanuel Pinheiro, precisa passar pela apreciação de comissões da AL

Marcus Mesquita/MidiaNews

Clique para ampliar

PEC do deputado estadual Emanuel Pinheiro prioriza a implantação do VLT

DOUGLAS TRIELLI
DA REDAÇÃO

O deputado estadual Emanuel Pinheiro (PR) apresentou um Projeto de Emenda Constitucional (PEC) que obriga o Estado a priorizar a implantação do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) em regiões metropolitanas, microrregiões ou aglomerado urbano de Mato Grosso.

 

Atualmente, a única região metropolitana do Estado é formada por Cuiabá, Várzea Grande, Santo Antônio de Leverger e Nossa Senhora do Livramento. O projeto irá alterar trecho do artigo 302 da Constituição do Estado.

 

“O artigo 302 diz que, através de lei complementar, o Estado poderá criar, mediante lei complementar, regiões metropolitanas como a nossa, microrregiões ou aglomerado urbano para se discutir políticas públicas de interesse comum”, disse.

 

“Essas políticas públicas de interesse comum são, entre outros, o saneamento, transporte coletivo. Por exemplo, você não pensa o transporte público de Cuiabá sem pensar em Várzea Grande, Livramento e Leverger. E eu agreguei a esse conceito que, em se tratando de política pública de interesse comum, no transporte público fica priorizado a implantação do VLT”, afirmou.

 

Com isso aprovado, não terá como não ser o VLT, até porque ele já está implantado, precisa apenas ser concluído

Segundo Emanuel Pinheiro, isso significa que, em Cuiabá, a implantação do modal será obrigatória.

 

Em um futuro próximo, o VLT deverá ser planejado para rodar nos municípios de Santo Antônio de Leverger e Nossa Senhora do Livramento.

 

“A PEC, em vez de priorizar o ônibus convencional, prioriza a implantação do VLT como instrumento fomentador da política de transporte público de qualidade, que vai impactar o desenvolvimento urbano, crescimento econômico. Estou dando tratamento constitucional ao VLT”, disse.

 

“Vamos supor que se crie, amanhã, a região metropolitana da Grande Rondonópolis, que seria formada por Rondonópolis, Pedra Preta, Alto Garça e Poxoréu. Terão que rediscutir a política de interesse comum e, quando chegar ao transporte, obrigatoriamente, vai se priorizar o VLT. Terá que haver fundamentos consistentes para descartar o VLT”, afirmou o deputado.

 

Viabilidade

 

Para Emanuel Pinheiro, não há que se falar em inviabilidade do modal em Cuiabá e Várzea Grande.

 

“Não sou engenheiro, sou advogado, mas isso é uma discussão para 40 anos atrás. No tempo em que Curitiba lançou o BRT, revolucionou. Depois, veio o VLT. Nessa lógica, o ideal seria o micro-ônibus primeiro”, ironizou.

 

“Cuiabá e Várzea Grande já têm contornos de uma grande região metropolitana, inclusive, com problemas de grandes regiões metropolitanas. Precisamos de um modal de transporte moderno. E, com isso aprovado, não terá como não ser o VLT, até porque ele já está implantado, precisa apenas ser concluído”, afirmou.

 

Andamento

 

Além de Emanuel Pinheiro, assinaram a PEC os deputados Zeca Viana (PDT), Pery Taborelli (PV), Janaína Riva (PSD), Oscar Bezerra (PSB), Leonardo Albuquerque (PDT), Max Russi (PSB) e, Silvano Amaral (PMDB).

 

A proposta ainda precisa ser votada em dois turnos no Plenário. Antes disso, passará pela Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) da Assembleia Legislativa, para análise do mérito.

 

Leia também:

 

Pinheiro lança movimento pela retomada; Governo admite parceria

 

Deputado diz que transporte público de Cuiabá é "medíocre"




Clique aqui e faça seu comentário


12 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Marque "Não sou um robô:"
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

Anival  23.12.15 22h32
Isso vira polêmica mesmo, esse VLT é simples...terminá ou Terminá! Esperamos que Governador não deixe aliados que são do ramo do transporte leva-lo ao erro, já mais deixará 1 BI jogados ao léu, não conseguirá recuperar esse dinheiro que foi desviado talvez nunca.
2
0
Janaina Macedo Calvo  23.12.15 16h54
Em qualquer país civilizado as pessoas dão prioridade aos transportes coletivos para proteger o meio ambiente, mas as condições precárias nos levam a recorrer a outras alternativas de mobilidade. Até que ponto isso afeta nossa qualidade de vida? Não percam novo post no blog Café&Finanças http://cafeefinancas.blogspot.com
2
0
edio ferraz ribeiro  23.12.15 16h02
O deputado está correto. o povo cuiabano não merece ficar a mercê destes velhos onibus repaginados, fedorentos, altamente poluidores, apenas para satisfação de empresários politicos ou politicos empresarios. Fora buzu fedorento.Vamos concluir logo o VLT.
8
2
juliocesar  23.12.15 15h29
infelizmente o brasil e um Pais onde a fiscalizaçao do dinheiro publico nao funcuiona como e para ser. Os governantes, politicos e o povo com mentes arcaica, e, arquitetura e obras de engenharia que mestre de obras realizam, proficionais graduados nao consegue terminar mostrando grandes desconhecimento; e sem falar das empreiteiras que dispensa comentario. que Pais este onde tudo e feito meio boca e nada que começa termia, quando vamos evoluir como seres racional????
4
1
Aldo Vicente Filho  23.12.15 13h48
Seria interessante terminar primeiro esse que já começaram!
20
2

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

1999-2017 MidiaNews - Credibilidade em Tempo Real - Tel.: (65) 3027-5770 - Todos os direitos reservados