ENQUETES

Você já decidiu em quais candidatos irá votar nestas eleições?

PUBLICIDADE

Política / DETRAN-MT
28.11.2015 | 15h00
Tamanho do texto A- A+

Secretário diz que o Governo só negocia após fim da greve

Os servidores iniciaram movimento há pouco mais de um mês; Justiça declarou ilegalidade

Marcus Mesquita/MidiaNews

Clique para ampliar

O chefe da Casa Civil, Paulo Taques, diz que Governo só negocia com servidores do Detran após fim da greve geral

CAMILA RIBEIRO
DA REDAÇÃO

O secretário-chefe da Casa Civil, Paulo Taques, afirmou que o Governo mantém o posicionamento de só negociar com os servidores do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), caso eles encerrem o movimento grevista, iniciado há pouco mais de um mês.

 

“Nós estamos com a mesma posição de sempre: prontos para negociar com o sindicato, mas só vamos fazê-lo com a greve encerrada”, afirmou o secretário, nesta semana.

 

O Sinetran, sindicato que representa a categoria, criticou a postura do Governo, que, segundo eles, tem sido "muito intransigente".

 

A presidente do sindicato, Daiane Renner, afirmou, ainda, que o Governo não atendeu a nenhuma das oito reivindicações feitas pela categoria.

 

Nós estamos com a mesma posição de sempre: prontos para negociar com o sindicato, mas só vamos fazê-lo com a greve encerrada

O chefe da Casa Civil, por sua vez, disse que nenhuma pauta foi atendida porque não houve um processo de negociação, tampouco de concordância entre as partes.

 

“Atender as pautas significa que nós sentamos, negociamos e concordamos. O processo de concordância depende de uma negociação, mas nós não negociamos; por isso, não temos com o que concordar”, afirmou.

 

“Fizemos uma contraproposta, mas nossa posição continua a mesma: a de que estamos prontos e dispostos a negociar, desde que a greve seja encerrada”, completou o secretário.

 

Apesar disso, Taques não fez qualquer tipo de crítica àss reivindicações dos servidores e afirmou os pleitos da categoria são negociáveis.

 

“Não vejo problema nas pautas. Só reafirmo o que eu disse ao sindicato: os pleitos que eles apresentam são absolutamente negociáveis, mas só vamos negociá-los com a greve encerrada”, completou.

 

Cortes e multa

 

A paralisação dos servidores do Detran foi declarada ilegal pela Justiça no dia 29 de outubro. O sindicato foi notificado no dia 3 de novembro, mas ignorou a ordem do Poder Judiciário.

 

No dia 9 de novembro, a pedido do Governo, a Justiça dobrou para R$ 200 mil por dia a multa imposta ao Sinetran, por descumprimento da ordem de encerramento da greve.

 

O secretário Paulo Taques reafirmou que, enquanto os servidores não retomarem suas atividades, serão penalizados com corte de ponto.

 

“Vamos continuar fazendo o que estamos fazendo, executando a multa, cortando o ponto e procurando e buscando saídas administrativas para que a população não sofra com isso”, concluiu.

 

Leia mais sobre o assunto:

 

Detran contrapõe líder e diz que Governo não atende pauta

 

Taques só retoma diálogo com fim da greve, diz líder do Governo

 

Deputada cobra nomeações e diz que Governo é "intransigente"

 

Governo aponta ilegalidade de movimento e descarta nomeações

 

Sem acordo com o Governo, servidores retomam a greve




Clique aqui e faça seu comentário


5 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Marque "Não sou um robô:"
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

DIRLEY DE PINHO PEDRO  29.11.15 09h46
concordo com vcs, mais a greve e a última ferramenta em uma negociação, agora, o governo espirro, vcs fazem greve, na minha opinião falta maturidade e responsabilidade, o povo não pode pagar o pato.
11
15
QUEM SABE FAZ A HORA NÃO A OBRIGA A ACON  29.11.15 06h03
Senhores sindicalizados do DETRAN, por gentileza, tenham consciência que no Estado praticamente todos os órgãos públicos estaduais sofrem com a falta de servidores, e alguns em áreas de extrema importância para a população, como por exemplo na Saúde e Educação. Inclusive alguns (INDEA, EMPAER, etc.) estão há mais de uma década sem realizar concurso para inclusão. No entanto, os sindicatos desses órgãos não convocaram greve este ano, provavelmente porque as diretorias dessas entidades de classes entendem que o momento não é oportuno para essas reivindicações, considerando que estamos em pleno momento de crise orçamentária e financeira a nível estadual e federal. O Sindicato do DETRAN tem conhecimento que outros 11 Estados estão com os salários de seus funcionários públicos em atraso, e muitos deles parcelaram os pagamentos em diversas prestações. Aqui no MT o Governo tem feito milagre ao manter o salário dos servidores em dia, que estão dentre os mais altos do país, inclusive o salário dos servidores do DETRAN, que estão parados há mais de um mês, continua em dia. O atual Governo assumiu uma verdadeira “bomba” deixada pelo Silval e companhia, que “roubaram” literalmente o Estado. Tanto é verdade que ele o ex governador, o ex presidente da assembleia, os ex secretários estaduais e alguns servidores do alto escalão estão presos há meses por atos de corrupção. Ocorre que o sindicato e os servidores do DETRAN ainda não se deram conta que o último governo era formado por uma parcela de políticos corruptos, e as negociações com estes funcionava na base da pressão, pois não se importavam com qualquer tipo de consequência para o futuro, o que interessava de fato era manter a sangria nos cofres do Estado. Mas agora estamos diante de um Governo técnico, moralista, e que faz e segue planejamentos estratégicos para continuar mantendo Mato Grosso em crescimento, ou impedir que o Estado “quebre”. Vejam vocês que o SINETRAN quer obrigar o Governo a convocar de imediato para este ano 70% dos aprovados no concurso, o que seria aproximadamente 350 (trezentos e cinquenta) novos servidores. Ocorre que o mesmo SINETRAN convocou a greve alegando que o DETRAN está totalmente sucateado, pois segundo afirma o próprio sindicato os imóveis estão em péssimo estado de conservação, e não comportam o número de servidores, que falta equipamentos e mobiliários, e ainda computadores para os servidores trabalharem. Então se não existe estrutura mínima para os funcionários que estão hoje trabalhando (um pouco mais de oitocentos), SERÁ UM CAOS SE O GOVERNO CONVOCAR OS 350 APROVADOS DE IMEDIATO. Vale lembrar que as deficiências alegadas pelo SINETRAN não se resolvem de um dia para outro. Ou seja, ainda que o investimento para reestruturar o DETRAN fosse aplicado de imediato, os resultados levariam no mínimo 1 ano ou mais para serem sentidos. A exemplo cita-se uma obra de construção para reformar e ampliar uma CIRETRAN como a Rondonópolis, qualquer pessoa sabe que isso levaria no mínimo oito meses ou mais só de serviços de obras de engenharia, sem contar o tempo necessário para licitar. A não ser que o SINETRAN deseje que as obras e licitações sejam executadas nos moldes do Governo Silval, quais sejam: licitação “relâmpago”, obras “padrão FIFA” e preços superfaturados para o Estado (exemplo VLT, viadutos e outras). ENTÃO FICA A DÚVIDA SE NÃO EXISTE MOBILIÁRIO, CADEIRAS, MESAS, COMPUTADORES E ESPAÇO NAS UNIDADES DO DETRAN PARA OS ATUAIS SERVIDORES E A SOLUÇÃO PARA ESSAS DEMANDAS NATURALMENTE IRÁ DEMORAR, COMO OS NOVOS (350) SERVIDORES IRÃO DESEMPENHAR SUAS FUNÇÕES? SERÁ QUE A MENTE BRILHANTE DA PRESIDENTE DO SINETRAN NÃO PENSOU QUE SERÁ UM PROBLEMA MAIOR AINDA. Assim, resta evidente que a imediata convocação de 350 novos servidores somente serviria para agravar a situação caótica que o órgão se encontra, pois se não há condições de trabalho para os atuais servidores, aumentar o efetivo em 50% de cara seria ilógico, para não dizer uma “ideia de jerico”. E CERTAMENTE NO DIA APÓS O INGRESSO DOS SERVIDORES HAVERIA A CONVOCAÇÃO DE OUTRA GREVE, ATRIBUINDO AO GOVERNO A CULPA DE TER NOMEADO SERVIDORES SEM QUE O ÓRGÃO TIVESSE CONDIÇÕES MÍNIMAS DE RECEBÊ-LOS. O mais inteligente então seria que o SINETRAN lutasse primeiro pela reestruturação do órgão, e depois fizesse greve para nomeação de mais servidores. E o Presidente do DETRAN já informou em suas entrevistas que o órgão já está passando por um processo de reestruturação, mas a longo a prazo, pois como eu disse as mudanças são impossíveis de ocorreram de uma noite para a outra, como querem inocentemente acreditar a qualquer custo o sindicato e os servidores em greve. O SINETRAN afirma que o atual Governo é “intransigente” em não atender as reivindicações da categoria, mas também afirma que o DETRAN vem sendo sucateado há décadas. MAS DEVEMOS NOS LEMBRAR QUE O GOVERNADOR PEDRO TAQUES AO ASSUMIR O GOVERNO DE MT EM JANEIRO DE 2015 ROMPEU COM 16 ANOS DE DOMÍNIO DE UM GRUPO POLÍTICO, E ESTÁ APENAS HÁ 11 MESES NO CARGO. Não seria “intransigência” da parte de quem exige que décadas de sucateamento sejam corrigidas em apenas 11 meses de Governo. Seria o mesmo que os passageiros do ônibus quererem culpar o motorista que assumiu a direção do veículo no último trecho por todo o trajeto percorrido durante a viagem. Em razão disso o Governo está corretíssimo em elaborar um cronograma de nomeação a longo prazo, pois “PRIMEIRO SE ARRUMA A CASA, E DEPOIS SE RECEBE NOVOS VISITANTES”. Assim conforme o órgão estiver melhor estruturado poderá receber novos servidores. Ou seja, resta evidente que os membros da Diretoria do SINETRAN não entendem nem um pouco de administração do bem público, e chegam a ser inocentes e infantis, pois como querem exigir do Governo nomear imediatamente mais de trezentos servidores se o órgão não tem onde colocá-los e nem equipamentos para os mesmos trabalharem. Seria a mesma brilhante ideia de querer dividir meu único par de sapatos velhos com alguém que acabei de conhecer, pois cada um ficaria com apenas um sapato velho e descalço no outro pé. Assim, surge outra dúvida: será que o sindicato irá ceder sua sede e seus computadores para os novos servidores trabalharem, ou desejam reabrir as agências/postos irregulares que foram fechadas pelo atual Presidente no início do ano? Moçada do DETRAN, por favor, vamos parar um pouco para pensar, PODEM ACREDITAR NÃO DÓI NEM UM POUQUINHO USAR O CÉREBRO DE VEZ EM QUANDO, pois vocês querem obrigar o Governo do Estado a trazer centenas de pessoas para trabalharem em condições que vocês mesmos afirmam serem degradantes. E outra o DETRAN não é o único órgão público do Estado, vocês se lembram que existem outras instituições que também compõem MT. O argumento que o DETRAN é o segundo órgão que mais arrecada no Estado não justifica querer impor ao Governo a besteira que já expliquei acima, pois os recursos arrecadados não são exclusivos do DETRAN, seus servidores e muito menos ainda do SINETRAN, mas são da sociedade mato-grossense. Assim cabe ao Governo definir do modo mais racional e estratégico como as despesas serão aumentadas, seja com funcionalismo público ou com investimentos. Um abraço a todos, especialmente as mentes brilhantes que comandam o SINETRAN.
16
24
Claudia   28.11.15 23h21
Tá. E eu que preciso do serviço do Detran fico como ? Se o governo não consegue resolver o problema do servidor tem que resolver o problema do contribuinte/usuário, por gente pra trabalhar lá ué. Acorda Pedro Taques esperamos de você mais eficiência que conversa.
19
11
alexandre  28.11.15 17h16
porque não negociou quando a greve foi suspensa ? o governo não tem dinheiro p gastar com os não alinhados, não podem nomear no Detran mas podem chamar 3500 PM quem ajuda a bancar é o Detran, discrepante isso.. nem só 30 gatos pingados nem 70 %, é preciso o meio termo, deve se mudar os negociadores, pois um não confia no outro, negociar significa abrir mão de algo p o bem comum, repetir o discurso do governo não é negociação é embromação..os dois lados foram longe demais, o Estado tem o poder do príncipe e a justiça ao seu lado é injusto..
20
6
alexandre  28.11.15 17h15
porque não negociou quando a greve foi suspensa ? o governo não tem dinheiro p gastar com os não alinhados, não podem nomear no Detran mas podem chamar 3500 PM quem ajuda a bancar é o Detran, discrepante isso.. nem só 30 gatos pingados nem 70 %, é preciso o meio termo, deve se mudar os negociadores, pois um não confia no outro, negociar significa abrir mão de algo p o bem comum, repetir o discurso do governo não é negociação é embromação..os dois lados foram longe demais, o Estado tem o poder do príncipe e a justiça ao seu lado é injusto..
22
6
1999-2018 MidiaNews - Credibilidade em Tempo Real - Tel.: (65) 3027-5770 - Todos os direitos reservados

Ver em: Celular - Web