Cuiabá, Domingo, 26 de Maio de 2019
ABANDONO
07.03.2019 | 15h15 Tamanho do texto A- A+

Idosos são resgatados famintos e dormindo em colchão com vermes

Irmãos de 84 e 86 anos foram encontrados isolados em vilarejo, onde vivem há 20 anos

Lucas Silva/TJMT

Abílio e André Rodrigues da Silva foram resgatados após denúncia feita durante projeto do TJMT

DA REDAÇÃO

Dois irmãos idosos de 84 e 86 anos foram encontrados em situação degradante, passando fome, sem medicamentos, em meio a parasitas, entulhos e matagal, isolados no Vale Abençoado, vilarejo próximo a Santo Antônio de Leverger (a 35 km de Cuiabá).

 

Os irmãos André Rodrigues da Silva e Abílio Rodrigues da Silva moram sozinhos no Vale há mais de 20 anos. 

 

Nos últimos anos, com a idade avançada, as funções rotineiras se tornaram muito dificultosas, pois ambos possuem catarata em estágio avançado, de modo que a visão é muito limitada. André não consegue ficar ereto por patologias graves na coluna. Já Abílio também tem problemas auditivos e ambos são hipertensos. 

 

De acordo com a coordenadora do Centro de Referência Especializado Assistência Social (Creas) de Santo Antônio, Carla Ito, os idosos dormiam em colchões repletos de vermes.

 

Eu chorei quando vi os dois naquelas condições, idosos, sozinhos. A casa estava extremamente suja, com muito lixo, com bicho, não tinha como entrar

Quando chegou ao casebre onde moram, a coordenadora afirma ter se assustado com a situação: só havia arroz, feijão e açúcar para comer, um dos colchões estava cheio de vermes, a casa toda tinha mau cheiro, os dois estavam sem tomar banho há meses e havia vários medicamentos vencidos.

 

“Eu chorei quando vi os dois naquelas condições, idosos, sozinhos. A casa estava extremamente suja, com muito lixo, com bicho, não tinha como entrar”, relata.

 

A situação calamitosa dos idosos foi denunciada à Carla durante o Ribeirinho Cidadão - projeto social do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) -, quando ela trabalhava como voluntária.

 

Resgatados, os idosos passaram por avaliação médica, receberam medicamentos, tiveram seus documentos checados, bem como os benefícios da aposentadoria – que, de acordo com informações preliminares, estavam sendo sacados por familiares sem o repasse devido a eles.

 

A equipe do Creas esteve novamente na residência dos idosos no dia 27 de fevereiro para elaborar o relatório psicossocial, a fim de subsidiar os próximos trâmites legais que serão feitos pelo Ministério Público Estadual.

 

Lucas Silva/TJMT

IDOSOS

Abílio Rodrigues, durante ação do Creas

“Nessa visita, constatamos que existe uma ausência de cuidados, uma situação de negligência e abandono. A família parece que tem pouquíssimo contato com eles. Pudemos levantar o histórico, desde a vinda deles para cá e como têm vivido até agora, de uma forma muito precária”, observa a psicóloga do Creas de Santo Antônio, Leocádia Pio Sales.

 

“A situação deles é gravíssima, não tem como esperar. Não tem como continuarem aqui, eles precisam de um lugar que seja digno”, complementa a assistente social Alair Almeida Camacho.

 

Abandono 

 

Questionados sobre a situação de abandono em que se encontram, os idosos confirmam o sentimento:

 

“O filho deve cuidar do pai, porque ele que criou o filho, agora ele que tem que cuidar de nós”, afirma André.

 

“A gente fica abandonado, fica sozinho aqui”, completa Abílio.

 

Após o envolvimento do Creas, uma limpeza foi feita na casa, eles receberam a visita de familiares, alimentos foram doados e vários vizinhos se propuseram a ajudar os idosos.

GALERIA DE FOTOS
Lucas Silva/TJMT
Lucas Silva/TJMT



Clique aqui e faça seu comentário


COMENTÁRIOS
3 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Marque "Não sou um robô:"
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

deize  08.03.19 07h58
nem todos filhos tem amor a seus pais. mais sim amor em suas aposentadorias.
19
1
clenira tavares de lima rondon  07.03.19 16h18
Não pode deixar impune, se eles são aposentados quem ficava com esse dinheiro? o Ministério Publico tem que bater duro.
120
0
ana  07.03.19 15h51
não pode ser caracterizado como abandono??? e o dinheiro da aposentadoria ??? quem sacava??? com quem ficava????
150
1