Cuiabá, Segunda-Feira, 22 de Abril de 2019
1ª DAMA DE CUIABÁ
22.12.2018 | 19h20 Tamanho do texto A- A+

“Acho que 2º mandato não é bom, mas nunca impus nada ao Emanuel”

Marcia Pinheiro confessa fama, mas nega participação em decisões políticas de prefeito da Capital

Alair Ribeiro/MidiaNews

A primeira-dama de Cuiabá Marcia Pinheiro, que diz não ser a favor da reeleição

DOUGLAS TRIELLI
DA REDAÇÃO

Longe da vida empresarial desde a posse do prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (MDB), em 2017, a primeira-dama Marcia Kuhn Pinheiro defende que o marido não vá à reeleição, no pleito de 2020.

 

Os motivos, segundo ela, são o desejo de retorno aos negócios e a possibilidade de o emedebista enfrentar um segundo mandato ainda mais duro. Entretanto, disse que não irá impor nada a Emanuel.

 

“Não quero. Acho que segundo mandato não é bom para nenhum gestor. Mas eu também nunca impus nada ao Emanuel, porque ele é o político. Se ele pudesse ser só prefeito e eu tocar a minha vida, na minha área, seria diferente, mas não tem como. Então, muda a vida da família toda”, afirmou em entrevista ao MidiaNews.

 

Ainda na entrevista, ela confessou que há uma fama de ter grande participação nas decisões de Emanuel, mas negou que seja verdade e disse entender pouco de política.

 

Marcia ainda se disse surpresa com a decisão de seu filho Emanuelzinho (PTB) de disputar a eleição. Ele foi eleito deputado federal, sendo o terceiro mais votado.

 

“Foi uma surpresa para mim. O Emanuelzinho, em 2016, me chamou e disse que estava fazendo um preparatório para ir para um seminário, porque ele queria ser padre. E apesar de hoje não parecer, mas ele era muito tímido. Eu nunca, nunca, imaginei”, disse.

 

Avessa a se envolver em polêmicas, a primeira-dama preferiu não tecer comentário sobre a Operação Sangria, da Delegacia Fazendária (Defaz), que investiga um esquema que monopolizou os serviços da Saúde na Prefeitura e no Governo.

 

Alair Ribeiro/MidiaNews

Estante Márcia e Emanuel

Primeira-dama emoldurou, em seu escritório, fotos de momentos importantes de Emanuel e da família

Ela porém comentou o fim do mandato do governador Pedro Taques (PSDB). Disse que faltou diálogo ao tucano. Afirmou torcer para que o governador eleito Mauro Mendes (DEM) faça um bom governo e que espera fazer parceria nos projetos sociais com a futura primeira-dama Virginia Mendes.

 

Confira os principais trechos da entrevista:

 

MidiaNews – Como é a atuação da senhora como primeira-dama? Nos bastidores dizem que a senhora tem muito poder dentro da Prefeitura, que participa muito das decisões do prefeito. É verdade?

 

Marcia Pinheiro – Não. Eu procuro dar minha opinião naquilo que eu tenho conhecimento. Isso é mais fama. Eu tento ajudar naquilo que é possível e necessário. Eu sou paranaense, morei em Curitiba, e tem muita coisa ligada a infraestrutura, cidades, que procuro opinar. Tudo o que há de melhor no mundo, é interessante tentar trazer para seu Município. Mudar a vida das pessoas, mudar a realidade da sua cidade. Se eu sei que uma coisa é boa, gosto de passar isso para frente. Mas é mais fama mesmo.

 

MidiaNews – O deputado eleito Emanuelzinho afirmou que a senhora é o "cérebro" da casa.

 

Marcia Pinheiro – Eu não entendo muito de política e sempre falo que se eu não posso ajudar, não atrapalho. Quando eu e Emanuel nos casamos, estava me desfazendo de uma empresa e comecei a ajudá-lo, coordenando o gabinete. Mas nunca interferi na parte política. Não é meu forte. Algumas pessoas vêm conversar comigo, achando que entendo de política... Eu tenho uma noção, são 30 anos de vida pública, mas é mais jogo de cintura, de tentar resolver, ajudar, porque não domino.

 

MidiaNews – Em entrevista recente ao MidiaNews, o prefeito Emanuel afirmou que já havia perdido a esperança de um dia se tornar prefeito, mas que as circunstâncias o colocaram na Prefeitura. A senhora também não imaginava que ele pudesse ser prefeito?

 

Marcia Pinheiro – Eu não queria na época, relutei bastante, porque sei que o cargo no Executivo é muito puxado, é difícil. Quando se ganha uma eleição, você acorda com 18 mil funcionários, uma cidade de 600 mil habitantes. Então, não é fácil. Mas tudo isso é fruto de muito trabalho do Emanuel. Ele sempre foi muito dedicado, muito determinado. Desde quando esteve como parlamentar. Fazer política com mandato é mais fácil. Quero ver fazer política fora do mandato. E o Emanuel sempre fez política, ele é político. A formação é de advogado, mas sempre fez política, com mandato e sem mandato. Talvez, isso tenha ajudado muito ele. Ele teve dois mandatos como vereador e quatro na Assembleia e sempre muito dedicado. Eu nunca vi o Emanuel desanimado. Mesmo quando perdeu a eleição, por conta da legenda, no outro dia estava tocando a vida para frente e foi dar aula de Direito Constitucional e Eleitoral. Então, ele é muito determinado. E essa determinação foi o que fez com que tudo isso acontecesse, que chegasse a ser prefeito de Cuiabá.

 

 

MidiaNews – Ele falou que senhora não quer que ele tente a reeleição. É mesmo contra um segundo mandato?

 

Marcia Pinheiro – Não quero! Acho que segundo mandato não é bom para nenhum gestor. Se analisar os segundos mandatos, não a maioria, é um pouco mais difícil. Como é um trabalho bastante exaustivo, cansativo... Tem o lado bom, que é você ter a oportunidade de melhorar a sociedade, cuidar das pessoas, mas é bastante puxado. Nem se compara com o Legislativo. O gabinete de um parlamentar não é a antessala do gabinete do prefeito.

 

MidiaNews – Não é natural que um prefeito tente se candidatar à reeleição?

 

Marcia Pinheiro – Não. Não necessariamente. Mas eu também nunca impus nada ao Emanuel, porque ele é o político. Então, eu nunca impus, nunca disse que ele não iria sair. Nunca existiu isso na nossa vida. Mas no caso de prefeito, eu tenho que estar junto. Se ele pudesse ser só prefeito e eu tocar a minha vida, na minha área, seria diferente, mas não tem como. Então, muda a vida da família toda.

 

 

MidiaNews – Inclusive a questão da exposição?

 

Marcia Pinheiro – Sim, com certeza. Com a exposição, você perde bastante a privacidade. Por um lado incomoda, mas de outro lado não, porque sempre fomos muito discretos. Sabemos que eu estou primeira-dama e o Emanuel está prefeito, não seremos eternamente primeira-dama e prefeito. Então, a gente tem sempre que pensar no dia de amanhã e dar o melhor de si neste momento. Eu não gostaria, mas nunca vou falar para o Emanuel que ele não vai sair. Mas não gostaria.

 

MidiaNews – Mas e se, lá na frente, com todos estes projetos sendo inaugurados, com o novo Pronto-Socorro funcionando, ele for favorito para disputa, admite rever sua posição?

 

Marcia Pinheiro – Não, minha posição continua. É um legado que vamos deixar, tentar fazer uma Saúde melhor. Sempre me coloco na posição das pessoas. Quando você tem um plano de saúde, passa mal, mas é imediatamente atendido, é uma situação. Me coloco na situação da pessoa que passa por isso, mas não pode ser atendido na hora, que fica esperando. Por isso, a gente cobra mais, quer implementar o Pronto-Socorro. Mas nem tudo depende só do prefeito Emanuel Pinheiro, depende de todos, do médico, da enfermeira, da pessoa que limpa, dos secretários. É uma soma.

 

 

MidiaNews – Então, quem defende que seja o sucessor? Alguém do grupo ou espera que o Emanuel não se envolva?

 

Marcia Pinheiro – Não pensei nisso. Não estamos preocupados com isso. Nosso foco é terminar o Pronto-Socorro, implantar os projetos sociais. No primeiro semestre do ano que vem vamos implantar dois restaurantes populares, um no CPA e outro no Coxipó. Então, estamos pensando em trabalho. Até porque ainda tem um ano e meio para isso. Hoje, não é nosso foco.

 

MidiaNews – Como a senhora tem visto toda essa polêmica em torno do novo Pronto-Socorro de Cuiabá, cuja gestão pela Empresa Cuiabana de Saúde está sendo questionada, além das operações que a Secretaria de Saúde foi alvo nas últimas semanas?

 

Achei que o Elvis, que é meu filho menor, é mais dado, não é tão tímido, que poderia ser [político] um dia. Mas nunca me passou pela cabeça que seria o Emanuelzinho

Marcia Pinheiro – Isso é uma parte que deixo para o Emanuel, mas tenho certeza que tudo isso irá se resolver, da melhor forma, transparente. Emanuel tem tido contato com os órgãos de controle, trazendo o Ministério Público para dentro da gestão, para que tudo fique claro. Isso vai se resolver, porque só temos o objetivo de cuidar da população. Quem sofre com tudo isso é a população. Tenho certeza que as pessoas que estão dentro do Pronto-Socorro, se perguntarem se elas querem ficar ali ou ir para um novo, se pudesse pegar a maca dela, iria. Iria para o novo hospital, com uma estrutura melhor.

 

Mas não adianta ter um Pronto-Socorro novo, bonito, com equipamentos modernos, se o tratamento não for diferenciado. E isso não depende só do prefeito, mas de cada um que trabalha ali. Quem vai atender o paciente é o médico, é a enfermeira, não é o prefeito. Então, não é só a estrutura física que tem que mudar, tem que mudar o conceito de cuidar das pessoas. Eu sempre falo que as pessoas que não gostam de gente não podem trabalhar no serviço público. As pessoas merecem ser bem atendidas. A gente paga impostos para que isso retorne para a população e, no mínimo, elas devem ser bem atendidas.

 

MidiaNews – Como a senhora viu a decisão do Emanuelzinho de entrar para a política? Era esperado?

 

Marcia Pinheiro – Não, foi uma surpresa para mim. O Emanuelzinho, em 2016, me chamou e disse que estava fazendo um preparatório para ir para um seminário, porque ele queria ser padre. E apesar de hoje não parecer, mas ele era muito tímido. Eu nunca, nunca, imaginei na minha vida que ele poderia ser político. Jamais! Achei que o Elvis, que é meu filho menor, é mais dado, não é tão tímido, que poderia ser [político] um dia. Mas nunca me passou pela cabeça que seria o Emanuelzinho. Foi uma surpresa quando ele falou que queria ser político.

 

MidiaNews – Quais são as semelhanças e diferenças entre os políticos Emanuel e Emanuelzinho?

 

Marcia Pinheiro – Os dois são determinados. O Emanuelzinho ouve muito o pai, apesar de ter as ideias dele. Ele é muito estudioso, dedicado. Mas a maior virtude é saber ouvir. E o Emanuel também é muito de ouvir.

 

MidiaNews – E as diferenças?

 

Marcia Pinheiro – Eles são muito parecidos. Não vejo uma principal diferença. Os dois até em gênios são parecidos. Eu não consigo brigar com o Emanuelzinho. E o Emanuel também, tem que ralar para brigar com ele.

 

 

MidiaNews – A senhora citou o Elvis. Acredita que ele tem vocação para a política? Ele pode ser candidato um dia?

 

Marcia Pinheiro – Não. Não o vejo trilhando isso. Ele faz Medicina, é outra área.

 

MidiaNews – Como primeira-dama, mas também como cidadã, qual análise faz da gestão do governador Pedro Taques? Ele tem sido criticado nos últimos meses por atrasos salariais, por estar deixando R$ 1,8 bilhão em dívidas para a próxima gestão. Acha que foi bom para Mato Grosso? E como foi a relação dele com Cuiabá?

 

Marcia Pinheiro – Eu não queria falar muito sobre isso, mas acho que o tempo vai avaliá-lo melhor. Aquilo que foi certo e o que foi errado. A administração pública é muito diferente. Só você estando dentro dela que terá o conceito. Talvez, muitas coisas que ele quisesse fazer, por burocracia e outros fatores, não conseguiu. Outras ele fez. A história irá julgá-lo. As pessoas irão julgá-lo. Quanto a dívidas, acredito que ele também pegou com bastante dívida. O País passou por momentos muitos difíceis. Todos nós pegamos uma situação de Brasil em recessão, em crise. Então, tenho certeza que se ele não fez mais foi devido a todos esses fatores. E nem tudo aquilo que você quer fazer, consegue. São diversas situações que no serviço público não há legalidade e não é possível tirar do papel. Talvez o que tenha faltado a ele foi diálogo.

 

Com relação a Cuiabá, ele apoiou Emanuel, sim. Eu nunca o vi fazer absolutamente nada contra Cuiabá. Inclusive, a questão do Pronto-Socorro, apoiou bastante. Tem um valor bastante alto a ser repassado ao Município, mas os outros municípios também não estão recebendo e acredito que não é nada pessoal. Não acredito nisso. Ele ajudou bastante Cuiabá.

 

 

MidiaNews – Qual a expectativa em relação ao Governo Mauro Mendes? As rusgas entre Emanuel e Mauro nos últimos tempos podem impedir investimentos em Cuiabá?

 

Marcia Pinheiro – Acredito que ele, como governador, não pode ter essas questões pessoais. Porque ele vai governar para o povo de Mato Grosso, não para o Emanuel Pinheiro. Tenho certeza que ele vai ajudar Cuiabá. Ele já foi prefeito e sabe das dificuldades de Cuiabá. Acredito que vá ajudar muito Cuiabá e todos os Municípios. É isso que a gente espera, porque ele é o governador de todos nós. Ele é governador de Mato Grosso. Eu, como cidadã, espero que ele faça um bom governo, que ele ajude a população, consiga desenvolver o Estado, a Saúde. Desejo toda sorte do mundo a ele para que consiga ajudar ainda mais Mato Grosso.

 

Foi uma fase bastante difícil [sobre o Escândalo do Paletó]. Mas o Emanuel vai provar na Justiça, ele tem esse direito de provar na Justiça

MidiaNews – Qual será sua relação com a futura primeira-dama Virginia Mendes? Já conversaram?

 

Marcia Pinheiro – Não conversamos, mas todas as parcerias que forem possíveis fazer, tenho certeza que faremos. Ela, como primeira-dama do Estado, vai querer desenvolver grandes projetos para Mato Grosso, cuidar das pessoas. Ela também é mãe e sabe das necessidades das pessoas, de ajudar as pessoas, como eu estou fazendo em Cuiabá. Acho que temos que estar juntas, somarmos juntas, para melhorar a vida das pessoas. Porque hoje não é Marcia, nem Virginia. É a primeira-dama Marcia e a primeira-dama Virginia, trabalhando em prol de Cuiabá e Mato Grosso.

 

MidiaNews – Como foi para a senhora receber a notícia sobre o escândalo do paletó [em que o prefeito foi filmado, quando era deputado, recebendo dinheiro dentro do Palácio Paiaguás e colocando no paletó]?

 

Marcia Pinheiro – É bastante difícil. Foi uma fase bastante difícil. Mas o Emanuel vai provar na Justiça, ele tem esse direito de provar na Justiça. Devolvendo ao povo o que ele quer, que é fazer um bom trabalho e que cuide das pessoas. Da nossa gente.

 

MidiaNews – Sentiu algum tipo de repercussão negativa da sociedade depois desse episódio?

 

Marcia Pinheiro – Não. Eu nunca fui hostilizada, muito pelo contrário. Nós não começamos ontem. Estamos há 30 anos na política. A maioria das pessoas nos conhece, sabe da nossa vida, sabe como procedemos. Acho que Emanuel nunca mudou um minuto do comportamento dele, tendo mandato ou sem mandato. Ele continua sendo a mesma pessoa. Eu a mesma pessoa, assim como meus filhos. Acho que isso deu credibilidade e conforto para a gente. Porque quem nos conhece, confia na gente.

 

MidiaNews – Como vê a participação feminina na política em Mato Grosso? Precisa mais representatividade?

 

Marcia Pinheiro – Defendo, mas a questão financeira é um grande empecilho para as mulheres saírem candidatas. Apesar de haver o fundo eleitoral, ainda está tímido. Temos grandes mulheres que gostam de política, que querem fazer política, mas tem a questão financeira que as impede de serem candidatas. Esse é o grande empecilho. Mas temos que ter muito mais mulheres na política, porque a mulher é determinada, tem mais sensibilidade até para cuidar de projetos para as mulheres.

 

 

MidiaNews – O seu nome foi ventilado nos bastidores da eleição neste ano. Tem desejo de entrar na política no futuro?

 

Marcia Pinheiro – Eu fiquei feliz com meu nome lembrado na política, mas, no momento, não tenho pretensão nenhuma. Já estou nela e ajudo o Emanuel, meu filho, mas não tenho pretensão de entrar. Mas fiquei feliz de ter sido lembrada.

 

MidiaNews – Para os 300 anos, qual a principal expectativa? E qual a pressão maior?

 

O serviço público é completamente diferente do privado. Às vezes, você tem o recurso, mas não tem a legalidade. Em outras tem a legalidade, mas não tem o recurso

Marcia Pinheiro – Na realidade, a gente não sente pressão. O Emanuel é 24 horas ligado. Então, ele tem pressa por tudo, não só para os 300 anos. Queremos fazer algumas comemorações alusivas aos 300 anos, mas não só isso, para os anos seguintes também. Então, ele não para nunca. Ele mesmo disse que sempre está em lua de mel com a gestão. Ele gosta de ser prefeito e quer ajudar, ele é um visionário, gosta de trazer modernidade para Cuiabá. Mas pressão, não. O que há de pressão são algumas coisas que a gente precisa fazer para comemorar o aniversário no dia 8 de abril. Mas pressão é todo dia. Executivo tem pressão todos os dias.

 

MidiaNews – Das obras para os 300 anos, qual será o maior legado da gestão Emanuel Pinheiro?

 

Marcia Pinheiro – Não só obras. Mas nesse caso, os viadutos, que graças a Deus foi aprovado o empréstimo pela Câmara. Haverá mais dois viadutos que vão melhorar a cidade. O Pronto-Socorro, sem dúvida, é um grande feito que será lembrado para sempre. E graças a Deus, o Emanuel, pela sua sensibilidade, está agilizando isso. Sabemos que hoje quase todos os hospitais do interior estão fechados. Levamos uma culpa, mas atendemos todo o Estado. Os pacientes do Pronto-Socorro não são só de Cuiabá. Se fosse só Cuiabá, não seria essa a realidade. E pelo Emanuel ser bastante humano e dedicado, está conseguindo manter. Mesmo com atrasos no recebimento de parcelas, ele az um esforço para manter a estrutura que tem.

 

MidiaNews – Além das obras, qual legado a senhora acha que ficará?

 

Marcia Pinheiro – O modelo de gestão, mais humanizado. O Emanuel tem todo um cuidado com a população. Se eu pudesse, teria uma vara de condão para resolver tudo o que solicitam, seja em termos de asfalto, esgoto, saúde, lazer. Temos uma obra que o Emanuel vai lançar, na região do Pedra 90, que será muito interessante para as crianças em questão de lazer. Porque hoje temos lazer somente para o lado de cá. E a gente precisa levar isso para os bairros.

 

MidiaNews – Como têm sido estes dois anos como primeira-dama do Município? Esta atuação social é algo com que a senhora gosta de trabalhar?

 

Marcia Pinheiro – Eu sou empresária, a área social não é minha formação, mas tenho a sensibilidade, como mulher e mãe, de ajudar e como madrinha da Assistência a tocar alguns projetos essenciais. O balanço é bastante positivo. Tivemos várias campanhas. Fizemos várias ações no ‘Siminina’, algo que nunca tinha acontecido. Tivemos aulas de balé, fanfarra do Siminina. Implantamos a fanfarra em julho deste ano e em cinco meses, praticamente, todas elas estavam tocando muito bem. Uniformizamos todas elas. Fizemos uma parceria com a Secretaria de Saúde em que toda a parte médica e odontológica visitou as unidades, fizemos a prevenção, orientamos essas crianças, para que elas tenham cuidados e possam ter um futuro mais feliz.

 

 

MidiaNews – O número de atendimento do Siminina aumentou?

 

Marcia Pinheiro – Estamos com 1,2 mil e queremos aumentar. Na gestão Emanuel Pinheiro, implantamos mais uma unidade, lá no Sucuri. Sabemos que a demanda é grande e se puder, no ano que vem, queremos mais 600 crianças. O Siminina é uma extensão da escola, em que elas têm psicólogos, ajuda no resgate familiar, forma crianças, as ajuda a ser felizes, ajuda na profissionalização, por meio do ‘Siminina Digital’, em parceria com a Unic [Universidade de Cuiabá]. O objetivo de tudo isso é cuidar dessas meninas, fazer meninas de bem, resgatar de problemas sociais.

 

MidiaNews – Como madrinha e envolvida nessa área social, qual foi o principal desafio?

 

Marcia Pinheiro – O serviço público é completamente diferente do privado. Às vezes, você tem o recurso, mas não tem a legalidade. Em outras tem a legalidade, mas não tem o recurso. O Siminina não é institucionalizado e todas as coisas que fazemos lá são com parcerias. Inclusive, tivemos em outubro, encerrando o mês das crianças, um grande evento no Buffet Leila Malouf. Quando se fala em Leila Malouf, acham que se pagou caríssimo, que gastou dinheiro público, mas foi tudo parceria. Nenhum recurso da Prefeitura. A Leila Malouf, que é uma empresária, uma pessoa sensível, doou a alimentação das crianças e o espaço. Foi uma festa muito linda, mas que não teve dinheiro público nenhum.

 

Sempre procurei ver outras primeiras-damas, me espelhar nas que tivemos no Brasil, como a Iraci França [esposa do ex-prefeito Roberto França]

MidiaNews – Mas continua atuando na área empresarial?

 

Marcia Pinheiro – Não, tive que me desligar faz um tempo. Sempre procurei ver outras primeiras-damas, me espelhar nas que tivemos no Brasil, como a Iraci França [esposa do ex-prefeito Roberto França]. Uma grande mulher, que idealizou o Siminina. E com esse mesmo olhar, a gente procura incrementar o programa para melhorá-lo. Em outubro, a gente chegou a homenagear a Iraci, porque foi a idealizadora do projeto. Me sinto feliz e sei que tem que fazer. Enquanto a gente estiver lá, vamos fazer. Eu sempre ajudei, no passado, o projeto de outras pessoas, mas nunca tinha colocado a cara a tapa. Isso é bem diferente e é muita responsabilidade.

 

MidiaNews – Como primeira-dama e mãe de dois filhos, qual sua rotina? Dá tempo para cuidar de si, ter vaidade?

 

Marcia Pinheiro – Ultimamente não tenho tido tempo, estou trabalhando muito, atendendo muito, a demanda é grande, apesar de eu não ser funcionária da Prefeitura, não ocupo cargo, mas procuro ajudar, como mãe e esposa. Ajudar o Emanuel em vários projetos que são importantes para a cidade. Na área social, dentro das minhas limitações e experiências, ajudar nesses projetos.

 

Mas é bastante puxado, não tenho tempo para isso [vaidade]. Acordo muito cedo, durmo muito tarde. Você sabe a hora que acorda, mas não a que vai dormir, porque tem muitos eventos à noite e você tenta participar do máximo possível.

 

MidiaNews – E tem tempo para conciliar todas essas atividades?

 

Marcia Pinheiro – Não acha tempo, é bastante corrido. A gente tenta cuidar um pouco dos filhos, da casa, do marido, dos projetos, mas não é fácil. É bastante puxado. Mas a gente vai lidando, tentando conciliar e fazer o máximo possível.

 

 

GALERIA DE FOTOS
Alair Ribeiro/MidiaNews
Alair Ribeiro/MidiaNews
Alair Ribeiro/MidiaNews
Alair Ribeiro/MidiaNews
Alair Ribeiro/MidiaNews
Alair Ribeiro/MidiaNews
Alair Ribeiro/MidiaNews



Clique aqui e faça seu comentário


COMENTÁRIOS
8 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Marque "Não sou um robô:"
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

E a Grana do Paleto??  23.12.18 11h57
E a Grana do Paleto??, seu comentário foi vetado por conter expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas
Tchapa e Cruz  23.12.18 11h45
Tchapa e Cruz, seu comentário foi vetado por conter expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas
Anderson  23.12.18 11h41
Anderson, seu comentário foi vetado por conter expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas
Luiz Giglio   23.12.18 09h11
E o paletó ???
22
7
Mário Márcio da Costa e silva  23.12.18 09h09
Uma entrevista muito boa ,equilibrada e com pé no chão. Municipio e estado tem que caminhar juntos , parabens .
10
21