Cuiabá, Quarta-Feira, 22 de Maio de 2019
ALFINETADA
20.04.2019 | 14h00 Tamanho do texto A- A+

“É difícil bater quem burla as leis e gasta mais do que pode”

Carlos Fávaro reforçou candidatura caso decisão do TRE - que cassou Selma Arruda - seja mantida pelo TSE

Alair Ribeiro/MidiaNews

O ex-vice-governador Carlos Fávaro, que espera por eleição suplementar caso decisão do TRE seja mantida pelo TSE

DOUGLAS TRIELLI
DA REDAÇÃO

O ex-vice-governador Carlos Fávaro (PSD) ironizou as declarações da senadora Selma Arruda (PSL), que na última semana usou suas redes sociais para criticar uma eventual eleição suplementar.

 

Na última semana, a senadora foi cassada por unanimidade pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT). Para ela deixar o cargo, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) precisa manter a decisão do TRE-MT.

 

Fávaro é parte ativa na ação eleitoral que julgou que a chapa de Selma - formada ainda pelos suplentes Gilberto Possamai e Clerie Mendes - cometeu abuso de poder econômico e prática de caixa 2. 

 

Em sua página no Facebook, Selma disse ser difícil os adversários conseguiram os mais de 600 mil votos que obteve no pleito do ano passado.

Em conversa com a imprensa, nesta semana, Fávaro disse ser difícil disputar contra candidatos que “burlam as leis”.

 

Eu disputei dentro da lei, dentro das regras e vou fazer desta forma de novo. [...] É difícil mesmo ganhar de quem burla a legislação

“É difícil bater quem comete ilegalidade, quem larga antes da hora, gasta mais do que pode. Realmente, é muito difícil”, disse ele.

 

“Eu disputei dentro da lei, dentro das regras e vou fazer desta forma de novo. E a Justiça tem se mostrado competente para quem burla as leis. É difícil mesmo ganhar de quem burla a legislação”, afirmou.

 

Fávaro disse esperar que a decisão do TSE saia ainda este ano. Segundo ele, uma resolução do TSE determinou que processos envolvendo caixa 2 e abuso de poder econômico sejam julgados até setembro.

 

“A gente não tem que ficar falando do que ainda não se consumou. Certamente, o processo se encaminha para consolidação da cassação da senadora. E, como já disse, sou candidato se tiver novas eleições”, afirmou.

 

“Política é a arte de agregar e fortalecer, mas o princípio de tudo é aquilo que me levou a ter os mais de 400 mil votos. Claro que com reforço. Precisa ser reforçado, porque eu não venci a eleição de 2018. Então, precisa de um reforço e vou trabalhar isso na hora certa, com os companheiros certos e já tenho boas sinalizações nesse sentido. Tenho certeza que será uma candidatura vencedora”, completou.

 

Outro lado

 

Por meio de nota a senadora Selma Arruda criticou a fala do ex-vice-governador Carlos Fávaro.

 

Veja na íntegra: 

 

Antes mesmo da campanha,  o Sr Carlos Fávaro anunciou aos quatro cantos do estado, pela imprensa, todo orgulhoso inclusive, ter contratado o marqueiro do João Doria, o Nelson Biondi, da agência Nova Estratégia Comunicação, de São Paulo. Vi até algumas notas publicadas que anunciaram contrato de R$ 8 milhões firmado entre as partes, após reunião na Capital paulista.  

 

 Mesmo assim não conseguiu votos para ser eleito senador da República. Agora, monta um outro time para o mesmo fim.

 

Então, é bem simples fazer a comparação dos gastos de pré-campanha e campanha entre nós dois. Acontece que, a única pessoa que teve que prestar conta da pré-campanha foi Eu. 

 

Também, enquanto contribuinte, e também fiscalizadora dos recursos públicos, me preocupo em ver esse homem, que é servidor público, do Governo do Estado, em plena campanha eleitoral, ainda sem eleição prevista, dando coletiva no horário de expediente... É bem complicada esse tipo de situação.

 

 

Leia também:

 

Fávaro admite candidatura e diz: “Corrigiram um pleito desleal"

 




Clique aqui e faça seu comentário


COMENTÁRIOS
1 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Marque "Não sou um robô:"
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

Carlos Nunes  21.04.19 10h42
É evidente que o TSE vai reverter a decisão do TRE/MT. Fizeram um grande imbróglio. A Convenção do partido aconteceu no mês de Agosto/2018, e o registro da candidatura depois. ANTES disso a Juíza não era candidata a nada...nem a porteira de cemitério. Podia movimentar conta bancária, podia fazer Empréstimo - a Receita Federal só diz que...o empréstimo pode ser feito numa Instituição Financeira, ou de amigos, parentes ou conhecidos...e essa movimentação que ocorreu no exercício 2018, tem que entrar na Declaração do IR de 2019. O erro do processo principia, quando começam a fuçar a vida da Juíza nos meses de abril, maio e outros anteriores até a Convenção Partidária. Ano que vem tem eleição pra Prefeito de Cuiabá, vai ter vários candidatos, as Convenções Partidárias acontecerão no mês de Agosto/2020...já pensou se começam a fuçar a vidas dos possíveis candidatos, nos meses anteriores, tal como ocorreu com a Juíza. Isso é irregular e ilegal, pois todas essas pessoas, nessas datas, não são candidatas a nada...A análise do processo da Juíza tem que se restringir da data em que ela registrou a candidatura no TRE/MT até a contagem final dos votos, que a elegeram Senadora por Mato Grosso. Fora disso é no mínimo...invasão de privacidade. Caixa 2 é quando o cara recebe a mala de dinheiro e não passa recibo, muito menos faz movimentação financeira com o dinheiro.
1
0