Cuiabá, Segunda-Feira, 20 de Maio de 2019
"BRONCA" NO PATRÃO
21.04.2019 | 09h00 Tamanho do texto A- A+

Maisa reafirma críticas a Silvio Santos: 'Ele fala certas coisas, né?'

Apresentadora revelou que Silvio não concordou com o nome que ela sugeriu para seu programa

Marcel Plasse

A apresentadora Maisa, que deu alfinetada em SIlvio Santos

RICARDO RIGEL

Há 14 anos, uma paulistinha de apenas 2 anos, sentada no sofá entre os avós que assistiam ao “Programa Raul Gil”, na Record TV, tomou a decisão dMaisa reafirma críticas ao patrão, Silvio Santos: 'Ele fala certas coisas, né?'a carreira que iria seguir profissionalmente: “Quero trabalhar na televisão”, disse ela para a surpresa da família. E, assim como tudo na vida de Maisa Silva parece acontecer de forma rápida, meses depois ela já havia virado a grande sensação das tardes de sábado do programa do “vovô Raul” — é assim que ela se refere ao seu descobridor. Prestes a completar 17 anos (o aniversário dela é dia 22 de maio), a menina de São Bernardo do Campo já ganha voz de mulher.

 

Até aqui, chorou, riu, arrancou a peruca de Silvio Santos, entrevistou crianças pelo telefone, aos 5 anos, e se tornou a única pessoa a enfrentar, no bom sentido, as tiradas politicamente incorretas do maior comunicador vivo do Brasil. Há um mês, a adolescente que é um fenômeno nas redes sociais, com mais de 22 milhões de seguidores no Instagram, chegou ao posto que Fátima Bernardes, por exemplo, demorou quase 50 anos para conquistar: ter o próprio talk-show.

 

— Coisas maravilhosas vão acontecendo na minha vida. Ninguém imagina que aos 5 anos vai ganhar um programa de TV. E eu ganhei. Assim como ninguém imagina que com 16 anos terá um programa com o seu próprio nome. É a minha realização! — diz a âncora do “Programa da Maisa”.

 

Aliás, o nome da atração foi motivo de divergência entre a menina prodígio e o dono do SBT. Depois de receber o convite para comandar o projeto, Maisa sugeriu à direção da emissora que a atração se chamasse “Maiseira”, uma referência à gíria “topzeira” — muito usada entre os jovens na internet:

 

— Mas Silvio não entendeu a brincadeira e resolveu colocar o meu nome. Não dá para eu ficar discutindo com o Patrão sobre isso, né? Não sou burra de bater de frente com ele.

 

Mas nem sempre é assim. Quando sente que é necessário, a mocinha não se cala. Sempre com uma resposta na ponta da língua, Maisa não pensa duas vezes ao dizer o nome de quem ela não tem vontade de entrevistar.

 

— Não sei se teria estrutura de fazer perguntas para Justin Bieber, sou muito fã dele. Acho que me tremeria toda e cairia dura. Outro é Silvio Santos, porque ele fala certas coisas, né? — alfineta a apresentadora sobre o comportamento do Patrão, que nos últimos anos tem feito afirmações de cunho machista e até mesmo preconceituosas.

 

Talvez tenha sido essa coragem para criticar Silvio e a postura de não baixar a guarda para certas “brincadeiras” que ele tem proferido que fizeram da apresentadora a grande aposta do comunicador. Nos bastidores, o veterano enxerga a jovem como uma figura de forte apelo comercial.

 

Funcionária de uma emissora com uma programação voltada para o entretenimento, Maisa já mostra que tem vontade de ir além dos temas convencionais do SBT. Ela quer levar para o programa discussões sobre feminismo, racismo e homofobia. Já na estreia, no dia 16 de março, entrevistou a atriz e apresentadora Fernanda Souza e o humorista Matheus Ceará. Quem pensou que o papo circularia em torno de temas com pouco engajamento político se surpreendeu ao ver a apresentadora falando com propriedade sobre assuntos como padrões de beleza e bullying. Na mesma semana, dois jovens mataram dez pessoas numa escola de Suzano, em São Paulo. O programa já estava gravado, mas Maisa pediu à produção para gravar uma mensagem para as famílias das vítimas e para o público.

 

— Tenho um programa à tarde na TV aberta. Então é importante usar esse espaço para falar de temas que ajudem às minorias. O SBT sempre foi uma emissora para a família. Mas esses padrões estão mudando. E é obvio que temos que trazer essas discussões para a nossa audiência. Quero que pessoas com opiniões diferentes passem pelo meu palco. Talvez algumas entrevistas possam ajudar telespectadores com algum tipo de preconceito a rever suas ideias — defende a adolescente com alma de adulta.

 

Grudada ao celular, da hora que acorda até o momento em que vai dormir, Maisa diz que tem tentado levar um pouco da linguagem do meio digital para a sua atração. Muitos momentos de sua vida são registrados e compartilhados com os fãs. Para se ter uma ideia do poder de alcance da mocinha entre o público, no rol das apresentadoras da TV brasileira, Maisa só perde para Tata Werneck em número de seguidores no Instagram. Ela desbanca Fátima Bernardes, Fernanda Lima, Luciano Huck, Tiago Leifert, Xuxa, Eliana, Angélica, Fernanda Souza, Fernanda Gentil, Sabrina Sato, Iza, Ana Maria Braga...

 

Cria de uma nova geração, ela sabe que seus seguidores na web precisam se identificar com o que apresenta na TV:

 

— O roteiro é muito bem-feito, mas coloco o meu jeito de falar. Gosto das gírias da internet, com as quais a galera da minha idade se identifica. Confesso que não assisto muito à televisão. Gosto mais do YouTube e da Netflix.

 

Com um currículo recheado, Maisa já atuou em longas-metragens — como “Tudo por um popstar” e o mais recente “Cinderela pop” — fez novelas e cantou. Mas a área musical está completamente descartada para o futuro.

 

— A experiência não foi legal. Pode esquecer. Isso está enterrado bem lá no fundo. Quero continuar a fazer cinema. Novela é que fica um pouco mais difícil porque o programa me toma muito tempo. Mas nunca deixei de fazer meus trabalhos com publicidade e eventos.

 

Filha do técnico de telefonia Celso de Araújo Andrade e da dona de casa Gislaine de Souza Silva Andrade, Maisa tem noção de que transformou a vida da família para melhor. Mas também sabe que sem a ajuda de seus fiéis escudeiros não teria conseguido chegar aonde está hoje. No momento desta entrevista, por exemplo, Maisa confessou que estava com TPM e o pai interviu, dizendo que ela poderia escolher se queria ir ao médico ou se preferia manter a agenda de divulgação do programa.

 

— Muita gente me pergunta se eu não tive infância e que meus pais me botaram para trabalhar aos 3 anos. Primeiro, eles não fizeram isso. Fui por livre e espontânea vontade para a televisão. Assim como outras crianças sonham ser astronautas, eu queria estar na TV. Eu era fã do Rouge, do KLB... Inclusive, escutava até as fitas deles no caminhão do meu avô. Quando cresci, meus pais, que hoje são meus empresários, deixaram claro que essa fama poderia não ser para a vida toda. Eles nunca me deixaram fugir da realidade — emociona-se a apresentadora: — Quando estou na TPM, fico muito emotiva. Não tem coisa melhor do que ter meus pais controlando minha carreira. Eles me entendem de um jeito que outras pessoas não entenderiam. Empresários, normalmente, focam só no lucro, eles não!

 

No último ano do ensino médio, Maisa admite que, para manter a sua rotina de campanhas publicitárias, gravações do programa e participações em outras produções, sobra pouco tempo para estudar:

 

— O bom é que tenho facilidade para assimilar as coisas. Estudo 20 minutos antes da prova. É puxado. Então, quando eu concluir esse ciclo na escola, quero tirar um ano de descanso. No outro devo fazer uma faculdade de Cinema. Alguém duvida que ela vai mandar bem como universitária?

 

Uma menina aplaudida por mulheres

 

No início do ano, quando a informação de que Maisa ganharia seu próprio talk-show foi divulgada, a apresentadora viu surgir uma enxurrada de comparações entre ela e Tatá Werneck. Muitos chegaram a dizer que sua atração seria uma cópia do “Lady night", — programa do Multishow que passou a ser reprisado na Rede Globo.

 

— Tata é humorista, eu não. Amo o jeito dela, mas é bem diferente do meu. Além disso, ela é mais velha e pode falar sobre temas picantes e sexuais, algo que eu não tenho vontade nem idade para fazer. Mas, sinceramente, considerei essa comparação um elogio — comemora Maisa, que tem sido tietada pela própria Tata e por outras estrelas da TV.

 

Uma de suas fãs confessas é Bruna Marquezine, que chegou a se afastar das redes sociais após uma confusão no carnaval, quando Anitta ficou com Neymar, ex-namorado da atriz. Na ocasião, Maisa exaltou Bruna, que atribuiu seu retorno ao Instagram ao apoio prestado pela apresentadora da emissora concorrente.

 

Quando a adolescente levanta bandeiras como a do feminismo, as famosas não economizam posts celebrando as opiniões da jovem. A Canal Extra destaca alguns pelas páginas desta reportagem. Mas, se o assunto é se espelhar em outra celebridade, Maisa busca sua referência dentro da história do próprio SBT:

 

— Minha inspiração é Hebe. Ela entrevistava seus convidados como se estivesse num bate-papo na casa dela. E é isso que quero para mim como apresentadora. Que as pessoas sentem no meu sofá e falem o que tiverem vontade. Sem nada forçado. A ideia é que se sintam acolhidas. Não tenho pretensão de gerar polêmicas com a vida dos outros.




Clique aqui e faça seu comentário


COMENTÁRIOS
0 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Marque "Não sou um robô:"
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia